Lytron
My Partner
cultureholidays

Doulgas Heizer Retorna à Presidência do Rotaty Club

Douglas Heizer volta à presidência do Rotary Club Boca Raton West depois de 8 anos. A posse acontece no dia 24 de junho. Empreendedor, proprietário do jornal The Boca Raton Tribune, do time de futebol Boca Raton FC e da Heizer Media Group, ele trabalha há mais de 30 anos como voluntário em organizações de ajuda comunitária não só nos Estados Unidos, mas no Brasil, fazendo parte do conselho diretor de algumas dessas organizações. Douglas fundou, há mais de 12 anos, o Boca Raton Toy Drive, um projeto que já ganhou vários prêmios pela sua relevância, sendo conhecido de nossa comunidade porque arrecada brinquedos para serem doados às crianças carentes de nossa região na época do Natal. Ativo membro de organizações de negócios, é constantamente convidado para falar ou escrever sobre empreendedorismo e serviço voluntário. Casado com Dini Heizer, os dois tem 3 filhos, Pedro, Andre e Gabriela, todos envolvidos não só com as empresas da família, mas também com serviço comunitário.

LINHA ABERTA: Você foi o fundador do Rotary em Português nos Estados Unidos. Conte como foi esta experiência.

DOUGLAS HEIZER: Sou Rotariano há mais de 30 anos, ou seja, serviço comunitário não é nada que me conquistou agora. Quando cheguei nos Estados Unidos comecei a frequentar o Rotary Club Boca Raton Sunset onde fui presidente. Observei que o Americano ficava muito feliz por me ver como imigrante trabalhando no serviço comunitário. Resolvi motivar a nossa comunidade a fazer o mesmo para juntos fazermos a diferença. Muitos faziam de maneira isolada mas com o Rotary iríamos bem mais longe. Hoje eu vejo as organizações se proliferando e muita delas usando os mesmos lemas do Rotary. Isso é muito bom e também mostra que eu estava certo, porém nunca vai ser a mesma coisa do que ser parte da maior fundação do mundo e de ter parceiros como Bill Gates e Warren Buffet que investem a maior parte de suas fortunas em nossa fundação. Ainda está sendo um desafio mostrar a algumas dessas organizações que fazer parcerias com o Rotary os tornará mais fortes.

LINHA ABERTA: Quais foram os principais desafios de abrir um Rotary em Português?

DOUGLAS HEIZER: Foi simples mas também foi fácil. Muitos Brasileiros já haviam se decepcionado com organizações que não deram certo no passado. As pessoas estavam desconfiadas, achando que poderia ser a mesma coisa. Quando mostramos quem é o Rotary e o compromisso de se construir um legado, elas entenderam a diferença e a partir daí, a coisa ficou fácil, mas ainda temos dificuldade para o crescimento e a razão agora é outra. Nós finalmente entramos no século 21 e a maneira das pessoas se relacionarem está mudando. As pessoas buscam a cada dia por uma “gratificação instantânea”. Querem clicks, followers, querem ser reconhecidas instantaneamente. Ao invés de se unirem por algo maior sendo parte de um grupo, buscam algo que atinja os objetivos de usar as atividades sociais para “gratificação instantânea”. Acontece que eles não enxergam que isso é se contentar com muito pouco. A necessidade de gratificação instantânea se satisfaz com coisas pequenas. O desafio agora é ensinar que juntos podemos atingir objetivos ainda maiores e que podemos construir um legado.

LINHA ABERTA: Depois de 10 anos, você volta à presidência do Rotary Club West Boca. Quais são suas prioridades à frente da instituição?

DOUGLAS HEIZER: Minha prioridade é focar no básico, aumentar os relacionamentos entre as pessoas e outras organizações. Continuar criando um legado e ajudar outras organizações a terem acesso à nossa fundação. Essa é a parte mais difícil, ensinar como pescar. Mas sou um sonhador persistente! O Rotary é uma organização centenária e focada em construir um legado sólido e de longo prazo. Dando um exemplo do que isso significa, quero destacar uma das parcerias que tive a oportunidade de inaugurar em 2009. A construção de uma vila de pescadores na Jamaica. Em 2004, soubemos da necessidade de uma pequena comunidade de pescadores por comida para as crianças que vivian no local. Contactamos um Rotary Club local para avaliar as necessidades. Ajudamos de forma imediata em parceria com esse clube da Jamaica. Criamos uma cooperativa de pesca com cameras frigoríficas e com a reforma dos barcos, fizemos uma escola para as crianças e acompanhamos a administração da cooperativa durante um período. Resolvemos o problema.

LINHA ABERTA: O que é ser Rotariano?

DOUGLAS HEIZER: É estar disposto a construir novas amizades e boa vontade. É “dar der si antes de pensar em si”, aliás esse é um dos lemas do Rotary que tenho visto ser repetido por aí, mas sem se dar o reconhecimento ao Rotary. Queremos que tudo que seja feito seja benéfico e construa pontes para um mundo melhor, “começando com a meta de transformar a vida de uma pessoa de cada vez”, outro lema do Rotary.

LINHA ABERTA: Quais os principais projetos filantrópicos do Rotary Internacional?

DOUGLAS HEIZER: Fica difícil colocar assim. Vou falar apenas o que o Rotary Club Boca Raton West tem feito. Ajudamos na luta contra a poliomielite e a vacinação de crianças. Temos nossas bolsas de estudo em diferentes níveis ou seja, em parceria com outras organizações ou sozinhos. Incentivamos e fazemos treinamento em liderança para jovens da comunidade Brasileira. Prestamos ajuda humanitária em emergências como furacões e outras catrástofes através de nosso centro regional. Temos capacitação de líderes para que possam exercer o trabalho comunitário com a visão de longo prazo. Nosso clube tem feito muita coisa também com os idosos de nossa comunidade. Uma delas é visitar os asilos no Dia das Mães e do Dia dos Pais. Na área educacional, promovemos um concurso de redação entre crianças do ensino primário nas Escolas Públicas de Boca Raton. Temos o nosso Toy Drive que todos os anos recolhe brinquedos para as crianças carentes de nossa comunidade. Ajudamos também através de organizações parceiras na distribuição de alimentos às famílias que estejam passando por dificuldade. Temos os projetos internacionais que são muitos. Nosso clube já fez 5 grandes projetos internacionais como a construção de um banco de leite materno no Brasil e ajuda para compra de equipamentos para hospitais e creches no Brasil. Já investimos mais de $500,000.00 dólares em projetos no Brasil desde que nosso clube foi criado. Queremos continuar com esses projetos e implementar outros em prol da comunidade.

Share

Related posts