Lytron
My Partner
cultureholidays

Você em Xeque? Como Priorizar Você nos Relacionamentos

Você se ama? A resposta positiva pode vir automaticamente, mas você se ama de verdade, incondicionalmente? Para um relacionamento dar certo, precisa ser baseado em respeito mútuo entre as partes. Da mesma forma que em um relaciona­mento amoroso ou profissional, se o relacionamento consigo mesmo não é baseado em respeito, alguém vai sofrer; nesse caso, inevitavelmente você mesmo. Para viver em paz consigo mesmo, é necessário fugir de situações abusivas, assim como sairia de um relacionamento abusivo. Você não se permitiria continuar em um relacionamento em que sofresse maus tratos, físicos ou psicológicos. Não permitiria que ninguém o ofendesse com palavras agressivas ou julgamentos. Infelizmente há muitas pessoas seguras de si apenas quando se trata de se defender diante de críticas externas. É importante adotar a mesma postura de segurança com relação a si mesmo.

Autocritica e perfeccionismo fazem parte da nossa cultura. E são necessários em certas situações, para nos impulsionar a sermos pessoas melhores, atingirmos nossos objetivos e nos superarmos. O problema é quando exigimos demais de nós mesmos e desrespeitamos nossos limites.

A compulsão pelo trabalho por exemplo, pode ser prejudicial quando tendo em vista uma promoção ou conquista de um cliente importante, o trabalho vira a principal prioridade. Por consequência, as horas de sono são reduzidas, cai a qualidade da alimentação, do descanso, da atividade física e da dedicação aos relacionamentos. Isso é comum e aceitável eventual­mente, mas quando vira uma obsessão, pode causar uma confusão de prioridades e prejudicar a qualidade de vida.

Isso acontece também com a autoimagem. Mo­tivada pela cultura da dieta, onde nunca se está magro ou bonito o suficiente, a dedicação excessiva à atividade física e dietas pode causar transtornos alimentares, além do isolamento social e até doenças relacionadas à má nutrição.

E como evitar as consequências do perfeccionis­mo? Passando a aceitar a si mesmo, respeitando suas limitações e valorizando suas habilidades. Deixando de criticar seus defeitos e contemplando suas qualidades. Admirando o que há de bom e belo em si mesmo.

Enfatizando o que há de mais especial em nós mesmos, lembramos do quanto somos especiais e únicos. Esse é o mais genuíno amor próprio. Aquele amor que é tão puro que não permite espaço para autocrítica, comentários negativos, julgamentos e maus tratos.

Use de amor próprio quando precisar de uma dose de inspiração, quando tiver pensamentos nega­tivos com relação ao seu corpo ou à sua capacidade. Respeite-se e não se permita dirigir qualquer comentá­rio negativo com relação a si mesmo.

Se desaprovamos o bullying, como nos permiti­mos usar palavras negativas ou pensamentos negativos que fazem mal a nós mesmos? Pense a respeito Como você se trata? Veja se é com o mesmo respeito e compreensão que trata às pessoas com as quais convive. Analise se a linguagem que usa para se descrever ou analisar seu corpo ou suas ações é respeitosa como seria em se tratando de alguém que respeita e admira, como um chefe ou um parente, e se é doce como seria em se tratando de seu cônjuge ou filho.

Porque é dessa forma, exatamente como tratamos a quem amamos e respeitamos, que devemos tratar a nós mesmos, para viver bem e em paz conosco, desfrutando do bem-estar que vem com a aceitação de si próprio. Cuide-se. Filtre seus pensamentos e faça escolhas tendo como objetivo seu próprio bem-estar. Saiba dizer não para situações desconfortáveis e diga sim ao que lhe faz feliz. Movimente seu corpo, vista roupas que lhe fazem sentir bem, se alimente bem, pratique atividades de lazer e cuidado pessoal. Valorize a si mesmo. Desejando-lhe abundância de saúde, bem­-estar e amor próprio.

Share

Related posts