Lytron
My Partner

Santuário em Roma Revela Escada Que Jesus Teria Subido Antes da Crucificação

“Scala Sancta” como é conhecida em Roma, na Itália, ou simplesmente “Escada Santa”, é como chamam os 28 degraus guardados na parte de um antigo palácio em frente à Basílica de São João de Latrão, os quais acredita-se que Jesus utilizou para subir ao encontro de Pôncio Pilatos, em Jerusalém, antes da sua crucificação.

O Santuário Pontifício em Roma decidiu revelar a escada após um ano de restauração, poucos dias para a Páscoa. Toda ênfase na esca­da supostamente sagrada está na crença de que ela fazia parte do palácio de Pôncio Pilatos e foi usada por Cristo no momento em que se dirigiu ao encontro do governador romano, a fim de ser julgado, como diz a Bíblia Sagrada.

Segundo informações da ABC News, acre­dita-se que Santa Helena, a mãe do Imperador Constantino, responsável pelo “reconhecimento” do cristianismo como religião do Estado em sua época, levou a escada para Roma por volta do quarto século. A tradição católica diz que Helena, mãe do Imperador Constantino, levou a “Scala Santa” [Escada Santa] de Jerusalém para Roma no ano 326. Seus 28 degraus de mármore podem ser subidos pelos peregrinos que vão ao Vaticano, mas só se for de joelhos.

Desde a Idade Média, portanto, milhões de peregrinos incluíram em sua lista de símbolos venerados os 28 degraus atribuídos ao palácio de Pôncio Pilatos, algo que se mantém até os dias atuais. “Os degraus recentemente restaurados ajudam os fiéis a se conec­tarem com a história sagrada”, disse o padre Francesco Guerra. A restauração consistiu basicamente no revestimento com madeira de nogueira para a prote­ção. Assim que foi liberada a escada, na semana passada, dezenas de peregri­nos se amontoaram, se ajoelhando e beijando os degraus na crença da sua sacralidade.

O mármore foi coberto cerca de 300 anos atrás por ordem do papa Inocêncio XIII que temia o desgaste dos degraus pelo contato com mãos e joe­lhos dos peregrinos. Em algumas partes há uma buracos com até 15 centímetros de profundidade. A peça recentemente esteve em processo de restauração e o papa Francisco comemorou a reaber­tura:

“Subindo de joelhos estes 28 degraus da Escada Santa, o peregrino no cansaço de subir, se encontra com a dor que o próprio Jesus enfrentou na sua paixão. E enquanto sobe, rezan­do, nestes degraus, a pessoa se sente em contato consigo mesma, ou seja, retornam à memória as próprias dores ou os sofrimentos das pessoas que lhe são queridas. E Subindo, rezando e recordando a paixão de Jesus, eis que se mistura todo o sentido de quanto fez Cristo por nós: sofreu, morreu e ressus­citou pelo nosso amor”.

Share

Related posts