Lytron
My Partner

Art + Fashion + Talk

O evento especial da Season Two do The55Project acontece no Ironside, em Miami, entre os dias 16 e 18 de Maio e inclui uma agenda dinâmica baseada em Art + Fashion + Talk, com componentes de educação e projetos escolares.

No dia 16, a abertura oficial a partir das 6PM com uma cenografia inspirada nas obras do artista Candi­do Portinari, um Fashion Show com a participação do estilista, cenógrafo e autor brasileiro, Ronaldo Fraga que traz para a passarela criações inspiradas na obra Guerra e Paz de Candido Portinari. O estilista já tinha se inspirado em Portinari em 2014, quando produziu uma coleção base­ada nos Jardins Secretos de Portinari. Em Miami, Ronaldo Fraga apresenta a coleção Primavera Verão 2020 ins­pirada no artista e que acabou de ser desfilada no São Paulo Fashion Week.

“Essa é a segunda coleção que faço sobre Portinari. Essa coleção de agora é focada na obra de Portinari que é o “Guerra e Paz”, que foi enco­mendada pelo Presidente Juscelino Kubitschek em 1956. Doado como presente para a ONU, estes painéis estão na ONU e em 2010, João Portinari (filho de Candido Portinari) conseguiu com que os painéis viessem para o Brasil, e aqui eles foram restaurados e expostos em três grandes exposições, Rio, São Paulo e Belo Horizonte. E só então voltaram para ONU”, conta Ronaldo.

Nesta coleção Ronaldo Fraga busca pen­sar como Portinari pensava, em sua forma de olhar para o Brasil e mostrar a sua essência. “E a pergunta que eu faço hoje, se ele fosse pintar o Guerra e Paz hoje, o quê que ele pintaria, o que ele usaria de símbolos. Se na época, guerra para ele era a fome hoje, eu acho que ele falaria de outras coisas. Esta­riam na obra dele as questões ambientais, os conflitos de terra, o risco de uma nova ditadura… O feminicídio, o racismo… negros contra negros e índios. Eu acho que todas essas pessoas estariam na obra do Portinari. Ai eu tento olhar para isso, e eu trago as flores e as formas dele de criação, e eu acho que é isso que vou estar apresentando para vocês, junto com as peças da coleção de 2014 que foi a primeira vez que me inspirei em Candido Portinari”.

O ESTILISTA RONALDO FRAGA

A história de Ronaldo é interessante. Nascido em Belo Horizonte, o mineiro sabia desenhar e usou suas habilidades para in­vestir e vestir a moda. “Eu me apaixonei pela “moda” e pelo desenho. Eu sempre fui uma criança que desenhava, desenhava muito. Numa família de poucos recursos e na ado­lescência, fazia qualquer curso de desenho, contanto que fosse gratuito. Um dia me indi­caram um desenho de moda no “SENAC”, em Belo Horizonte. Isso foi no ano de 1984. Era um curso técnico, com uma turma formada por senhorinhas de cabelo lilás e a outra turma formada por travestis, para saberem desenhar as fantasias de carnaval”, conta.

No final do Curso, Ronaldo tirou a nota maior, pois já sabia desenhar tanta coisa, e a roupa não tem tanta diferença da “rosca de parafuso”, que ele desenhava também. Ele conta que foi no seu primeiro emprego, que foi oferecido uma semana depois de formado, pelo setor de colocação profissio­nal do “SENAC” para trabalhar numa loja de tecidos, que tudo mudou. Esta foi sua gran­de escola. “Foi ali que eu passei a entender de tecido, saber a composição de um tecido pelo cheiro dele. Mais adiante, chegou o vestibular de arquitetura, Belas Artes. E fiz um “recém instaurado” curso de moda, na UFMG. Foi o primeiro do Brasil. E eu optei por moda. Mais adiante eu participei de um concurso no final do curso. Foi um concurso nacional… e que o prêmio era uma pós graduação em Nova Iorque. Aí eu fui para Nova Iorque”.

VOOS MAIS ALTOS

Esse mineiro de BH foi longe. Ele foi parar em Londres. Na cidade europeia aprendeu chapelaria na Central Saint Martins e, junto com o irmão, abriu uma pequena produção de chapéus vendidos nas famosas feiras de Camden Town e Porto­bello. Anos mais tarde, o estilista brasileiro levou para as passarelas do Design Museum, em Londres, a coleção “Carne seca ou um turista aprendiz em terra áspera”. Ao lado de marcas como Prada e Dior, a coleção de Fraga levou para o estrangeiro a diversidade da moda brasileira na exposição Designs of The Year 2014.

Hoje, Ronaldo tem participado de várias semanas de moda, a última delas, ele apresentou a Coleção Primavera Verão 2020 intitulada Paz e Guerra e inspirada em Portinari, na São Paulo Fashion Week. “Eu já desfilei no Japão, na Holanda, em Portugal, Londres… Mas onde meu trabalho é exposto, o eco que ele consegue fora é curiosamente mais pelo viés artístico. Já fiz várias expo­sições… Chile, Argentina, Portugal, Áustria, Alemanha, Japão, e Angola, que foi surpre­endente, uma coleção inspirada na crise dos refugiados. Então hoje com o encolhimento do mundo, tudo que você faz, você produz, ecoa em lugares que você nunca imaginou, e eu acho isso fantástico”.

Fraga ficou conhecido por seu trabalho com cores, cortes e costura, levando a cul­tura brasileira em suas roupas, que são ver­dadeiras obras de arte do mundo fashion. Ronaldo conta que muitos de seus profes­sores eram professores da Belas Artes. “Não tinha professor de moda naquela época. Eu acho que isso influenciou muito a minha formação. Eles me inspiraram e continuam a me inspirar… tenho uma aproximação muito maior com a arte do que o mercado”.

Ronaldo acredita que a propaganda mais importante é a roupa que a pessoa veste. “Porque essa sim, a pessoa tem do­mínio sobre ela. Eu acho isso mágico, acho mágico também a moda como o retrato de um tempo. Você entende como foram os movimentos sociais, as transformações do mundo, através da moda… E isso eu acho muito legal. Agora o processo de criação, que inspira… Isso me influencia desde sempre, eu acho que é muito parecido com o processo de criação artística”, explica o estilista.

A MODA BRASILEIRA

Ronaldo Fraga explica que Europeus e Americanos achavam que o Brasil era o lugar para se produzir moda ou roupa a baixo custo, como a China. “E isso nunca aconteceu, porque nossa profissão é cara, e segundo porque a nossa vocação é muito para a criação. Hoje o Brasil no contexto da moda, está muito para o mercado de consumidor. Todos designers estão abrindo lojas nos shoppings de luxo. Tem esse interesse de país do consumidor, na década passada, com a auto-estima que o país vivia, com o investi­mento do Governo”.

Estilistas brasileiros começaram a participar das Semanas de Moda, a vender lá fora, e isso foi um passo inédito. Pela primeira vez os profissionais do mundo da moda viram que o Brasil tinha criação. “O momento atual é um momento muito difícil. Nossa indústria têxtil foi “sucatiada”, já tivemos o melhor algodão do mundo e hoje já não temos… Seda que produzíamos, também não produzimos mais, isso é muito triste. É fato que 90% dos tecidos vem dos países asiáticos para a produção da moda no Brasil. A moda acompanha a situação que o povo vive no momento, e a baixa auto-estima que assolou o país, refletiu na moda. Mas posso dizer, com certeza, de que São Paulo Fashion Week, no Brasil, é a quarta maior do mundo, e a maior da América Latina.”

A EXPERIÊNCIA DE PARTICIPAR DO THE55PROJECT EM MIAMI

“Estou muito honrado e feliz de estar chegando em Miami, com a obra desse grande pintor, talvez mais político que o Brasil já teve, Candido Portinari. É uma obra temporal. Talvez Portinari, sem dúvida alguma, foi um dos nossos mestres e que melhor retratou nosso Brasil. Mostrar esta mensagem de Portinari em forma da moda é algo inédito para a gente. Poder me inspirar num artista Brasileiro, onde a gente vai estar não apenas apresentando uma coleção, mas revelando para muitos, esse artista que muitos não conhecem, é maravilhoso. Eu estou super animado. E nesse momento que o país passa a gente precisa resgatar essas figuras que forjaram o Brasil moderno e nos enchem de orgulho. Nomes como Vila Lobos, Vinicius, Mário de Andrade, Graciliano Ramos, muitos modernistas e claro, Candido Portinari. Então esse é um momento muito especial, não só para a moda, mas para a cultura Brasi­leira no geral”.

THE55PROJECT EM MIAMI

O The55Project apresenta também uma homenagem especial a bailarina Ana Botafogo. Com 42 anos de carreira, Ana Botafogo foi a primeira bailarina do Teatro Municipal de Rio de Janeiro. Ana Bota­fogo será homenageada através de bailarinos brasileiros do corpo do Miami City Ballet, no dia 16 de maio, uma performance que fará parte da programação da noite do Fashion Show. Veja a entrevista exclusiva com Ana Botafogo na página 62 desta edição.

O The55Project é uma non-profit organization, com um forte componente educacional. O evento Ronaldo Fraga/Portinari, com o apoio do Instituto Portinari, é uma oportunidade de mostrar a gran­deza da obra de Portinari que mudou a estética na cultura brasileira deixando um legado buscando trazer a essência da icônica obra aos dias atuais.

O The55Project evidencia a arte brasileira, integra novos artistas ao mercado americano e tem fortes ferramentas de impacto sócio­-educativo através de instalações, exposições, residências, projetos especiais e palestras com curadores, críticos de arte e filantropos.

O projeto Ronaldo Fraga/Portinari conta com o patrocínio da FedEx Corp, Ironside Miami (venue partner), Azul Airlines, Perrotti Family Trust, Hampton Inn & Suites by Hilton Miami Midtown e Con­sulado Geral do Brasil em Miami. Apoio cultural do Piquet Law Firm, Monte Paschoal Wines, Sagrado Café e AB Catering. Informações sobre o programa no site www.the55project.com.

Share

Related posts