Governo de Trump Propõe Mudanças no Programa de Visto H-1B

O Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos (Homeland Security ou DHS), propôs mudanças a um dos programas de visto de trabalho mais populares dos Estados Unidos. O H-1B é um visto de não-imigrante — ou seja, temporário — concedi­do a profissionais qualificados, com diploma acadêmico ou experiência profissional equivalente. Válido por três anos — e passível de renovação por mais três —, esse é um dos vistos mais almejados pelos brasileiros.

Ele é especialmente popular no setor de tecnologia, já que muitas em­presas desse segmento precisam buscar profissionais estrangeiros que apre­sentem as qualificações necessárias. Contudo, desde a sua campanha elei­toral, Donald Trump vem travando uma batalha contra a imigração no país — e não apenas contra a imigração ilegal. O presidente já havia declarado que acredita que os vistos H-1B sejam emitidos em excesso, prejudicando trabalhadores norte-americanos.

MUDANÇAS PROPOSTAS AO H-1B

Os candidatos ao H-1B precisam ser selecionados por uma empresa norte-americana, que será responsá­vel pela solicitação do visto para o profissional. Só então ele poderá ser aprovado pela imigração. As mudanças a serem efetuadas no processo seletivo do programa visam a aumentar a por­centagem de profissionais selecionados que detêm diplomas de mestrado ou de graus superiores.

A USCIS estima que as mudan­ças propostas aumentarão em 16% o número de profissionais com diplomas de pós-graduação contemplados com o visto. O objetivo, de acordo com a agência, é trazer os melhores profissio­nais do mundo para os Estados Unidos. O DHS também pretende modernizar o processo de candidatura ao levar as inscrições para a Internet. Segundo o departamento, isso diminuiria os custos para os candidatos e tornaria o processo mais eficiente.

A advogada, Renata Castro, licenciada na Flórida e fundadora do Castro Legal Group, estima que empresas do ramo de tecnologia serão particularmente beneficiadas, já que frequentemente vociferam a dificulda­de em preencher vagas com qualifica­ções avançadas.

Em contrapartida, as mudanças afetariam empresas de consultoria e subcontratistas, que, no geral, recrutam profissionais com bacharelado. Um obstáculo adicional no formato de limitações a empresas que recrutam indivíduos para colocação em projetos externos também existirá, já que a localização deverá ser determinada no momento da solicitação do visto.

“Esse formato de solicitação inviabiliza a mobilidade da mão de obra contratada com visto H-1B em empresas de consultoria como Accenture e Deloitte, que tem equipes móveis concluindo projetos ao redor do país.” A advogada também acredita que a mudança impactará a demanda gerada por empregadores.

“Profissionais com mestrado e doutorado que vem para os Estados Unidos para ocupar cargos que reque­rem tal qualificação, serão beneficia­dos, sem dúvida” já que, de acordo com a advogada, receberão oportuni­dade dupla de participar do processo seletivo do visto H-1B.

Fonte: Agência Onevoxpress

Share

Related posts