Comentarista da CNN Pede a Extinção de Israel para Palestina Ser “Livre”

MARC LAMONT HILL INICIOU SEU DISCURSO NO EVENTO DA ONU FALANDO SOBRE O QUE ELE CONSIDERA FLAGRANTES VIOLAÇÕES DOS DIREITOS HUMANOS IMPLEMENTADAS POR ISRAEL CONTRA OS PALESTINOS

Um comentarista político da CNN pediu a extinção de Israel durante um evento realizado na sede da Organização das Nações Unidas (ONU) em solidariedade ao povo palestino. Sua fala, com um forte tom antissemita, gerou pressão sobre a emissora, que decidiu demiti-lo. Marc Lamont Hill iniciou seu discurso no evento da ONU falando sobre o que ele considera flagrantes violações dos direitos humanos im­plementadas por Israel contra os palestinos.

“Este ano marca o 70º aniversário da nakba“, afirmou, usando a palavra árabe que significa “catástrofe” ou “desastre” e é usada para se referir à fuga de aproximadamente 700 mil árabes palestinos da guerra civil na região em 1948. “A nação israelense continua a restrin­gir a liberdade. Existem mais de 60 leis de Israel que negam direitos de cidadania aos palestinos apenas porque eles não são judeus”, pontuou o comentarista, de acordo com informações do portal Christian Headlines.

Em seguida, ignorou as ações dos grupos terroristas, como o Hamas, para acusar Israel de violência desproporcional: “Enquanto os direitos humanos prometem o direito à liberdade e à vida e segurança da pessoa, os palestinos conti­nuam a viver sob a ameaça de violência aleatória por militares e policiais israelenses. Violência desproporcional na Cisjordânia e em Gaza, violência espontânea diante de protestos pací­ficos e violência mal direcionada por um Estado israelense que sistematicamente não consegue distinguir entre civis e combatentes”.

Eler criticou a mudança da embaixada norte-americana para Jerusalém: “Como ameri­cano, estou envergonhado de que meus impos­tos contribuam para essa realidade. Nenhum presidente americano assumiu uma posição de princípio pelos direitos palestinos. Estou entristecido, embora não surpreso que Trump tenha encorajado ainda mais o comportamento de Israel”.

Hill encorajou lideranças políticas a praticarem boicotes, desinvestimentos e sanções contra Israel, até o ponto em que permite a um Estado Palestino nas fronteiras anteriores a 1967: “Temos a oportunidade de não apenas oferecer solidariedade em palavras, mas nos comprometer com ações políticas, ação de base, ação local e ação internacional que nos dará o que a justiça exige, e isso é uma Palestina livre do rio para o mar”.

A repercussão da fala de Marc Lamont Hill – que também é professor universitário – resultou em sua demis­são por parte da CNN. As críticas contra o comentarista observaram que sua fala ecoou o discurso antissemita do Hamas e outros grupos que visam a erradicação do Estado de Israel.

O jornal The Independent, do Reino Unido, destacou que após a decisão da CNN, Hill usou o Twitter para negar que tenha apoiado o Hamas: “Em nenhum momento eu endossei, apoiei, ou sequer mencionei o Hamas. Isso é desonesto. Eu fui muito claro em meus comentários sobre desejar liberdade, justiça e autode­terminação para TODOS”, defendeu-se, sem admitir que sua fala se assemelhou em muito às bandeiras do grupo terro­rista palestino.

Share

Related posts