Lytron
My Partner
cultureholidays

Marcelo Alves, Presidente da Riotur e RioEventos, Fala Sobre o Turismo no Rio

MARCELO ALVES / FOTO: AL HAMDAN

Com formação e especialização em Marke­ting e mais de 20 anos de experiência no mercado, Marcelo Alves foi o fundador do Grupo ADMA Eventos, que recebeu por duas vezes o título de Empresa de Marketing Promocional do Ano, no Prêmio Colunistas Promo de 2009 e 2010. A agência de live marketing trouxe grandes eventos para a cidade, como o Rio Verão Festival e Disney Magic Run, entre outros. Precoce, Marcelo iniciou sua carreira aos 15 anos, tendo passado pelas áreas de eventos de grandes empresas, como a Sony Music, a Editora Abril e a Revista Playboy, estabelecendo desde cedo sua ligação com a área de entreteni­mento. Tamanha experiência o levou aos cargos que ocupa desde janeiro de 2017, acumulando as posições de presidente da Riotur e da RioEven­tos, respectivamente, as empresas da Prefeitura responsáveis pelas áreas de turismo e eventos da cidade. Vem se destacando por imprimir ao órgão público uma gestão integrada pautada em parcerias com a iniciativa privada, buscando o aporte de patrocinadores nos grandes eventos da cidade, como Réveillon e Carnaval, com foco na redução do investimento feito pela Prefeitura, na sustentabilidade dos negócios e no crescimento do fluxo turístico na cidade do Rio de Janeiro.

LINHA ABERTA: O Rio continua sendo a cidade maravilhosa? O que vocês estão fazendo para que a qualidade do turismo no Rio seja de nível internacional?

MARCELO ALVES: Claro que continua. A cidade do Rio de Janeiro tem belezas naturais diversas que corroboram muito bem essa alcunha. Uma cidade que já recebeu uma Copa do Mundo, a Jornada Mundial da Juventude, os Jogos Olímpicos e Paralímpicos e diversos outros eventos, é considerada de nível internacional. O Rio é a cidade mais preparada do Brasil, quiçá da América Latina, com modais de mobilidade urbana de primeira linha, hotelaria de ponta e uma vasta gama de opções turísticas com gastronomia, cultura, arte, design, história, esporte… Há opções para diferentes pessoas. A cidade do Rio é democrática.

LINHA ABERTA: Quantos turistas o Rio recebe anualmente? Qual a projeção para 2019?

MARCELO ALVES: Segundo o último levantamento realizado pelo Rio Cepetur com o fluxo de 2017, o Rio recebeu, 7.08 milhões de turistas gerando uma receita de R$ 13.6 bilhões. Mais de 60% dos turistas são de outras cidades do Brasil e outros cerca de 30% são estrangeiros. Usando o exemplo do Réveillon Rio 2018, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – ABIH-RJ, a cidade teve cerca de 50% dos seus 60 mil leitos ocupados em novembro/dezembro; já para o Réveillon Rio 2019 estamos com 85% de ocupação na primeira quinzena de dezembro, também segundo a Associação, e, podemos, claro, chegar a 100% até o dia 31. A atividade turística do Rio
cresce gradativamente, mas ainda não ocupa o patamar que deveria como uma indústria de retorno de negócio para a cidade. Estamos buscando, com ações estratégicas, reposicionar nossa cidade em uma colocação mais adequada no ranking das cidades mais visitadas do mundo, bem como fortalecer sua imagem em âmbito internacional.

LINHA ABERTA: Quais os pontos turísticos de maior interesse do Rio hoje?

MARCELO ALVES: O Cristo Redentor e o Pão de Açúcar são pontos clássicos da nossa cidade, bem como a Praia de Copacabana, os Arcos da Lapa, Jardim Botânico e Maracanã. Mas, hoje, após a revitalização da Zona Portuária, a região ganhou reconhecimento e se transformou em um grande cartão-postal carioca. O Museu do Amanhã, Museu de Arte do Rio, o Mural Etnias e o AquaRio compõem o cenário junto com a Praça Mauá e os armazéns do Píer Mauá.

LINHA ABERTA: O Rio sempre teve sua imagem associada com violência. Como vocês estão trabalhando para manter a segurança do turista no Rio?

MARCELO ALVES: Muito pelo contrário. O Rio sempre foi conhecido pela simpatia do povo carioca, pelo estilo de vida descontraído, sem contar por suas praias, diversidade de gêneros, e, claro, pelo samba, e futebol. Infelizmente, nos últimos anos, a cidade convive com um problema crônico nacional chamado violência. Por sermos um ponto focal do Brasil, estamos em evidência e a problemática acaba sendo mais acentuada, principalmente por conta da abordagem negativa da mídia. Esse cenário de dificuldade vem caindo substancialmente e a nossa esperança é que melhore a cada dia, com novas medidas governamentais. Mesmo com essa questão, a cidade recebe turistas durante todo o ano que movimentam nossa economia e o mercado, gerando receita para reinvestir no turismo.

Share

Related posts