BNDES Deve Vender Parcela de Fatia na JBS em 2019

O BNDES deve vender apenas em 2019 uma parcela de sua participação na processadora de carne JBS, depois que planos para a operação neste ano foram adiados diante de volatilidades do merca­do, informaram duas fontes do banco de fomento. O BNDES tem 21,3 por cento da JBS por meio de seu braço de participações BNDESPar.

A parcela, segundo a cotação de fechamento da ação na véspera, de 11,75 reais, equivale a 6,8 bilhões de reais. Um montante para a parcela remanescente do banco após a venda ainda não foi defini­do, informaram as fontes, acrescentando que o banco aguarda melhor momento do mercado.

No ano, as ações da JBS acumulam valorização de 20,4 por cento, mas o mo­vimento não foi estável. No pior momento do ano, no início de junho, o papel chegou a cair no decorrer dos negócios para 7,91 reais. A máxima foi atingida apenas no início deste mês, a 12,39 reais. “A venda de (parcela da participação) na JBS não é para este ano; deve ser no ano que vem”, disse à Reuters uma fonte do banco com conhecimento do assunto. “O mercado tem estado muito volátil para uma operação agora””.

Segundo informações do banco, a BNDESPar já levantou cerca de 4 bilhões de reais com venda de participações detidas na empresa. O banco tem participação na JBS des­de 2007, quando fez aportes que somaram 5,6 bilhões de reais na companhia e que chegaram a 8,1 bilhões até 2010. Desde março de 2007 até a véspera a ação acumula valorização de cerca de 88 por cento. “Que a participação está na nossa carteira desinvestimento, isso é real; mas como foi uma operação rentável, temos que esperar o momento certo, não é vender por vender”, disse uma segundo fonte do banco próxima do assunto.

Procurado, o BNDES afirmou que “con­siderando o investimento (8,1 bilhões de reais), os retornos recebidos (5,1 bilhões) e o valor de mercado da participação remanescente (6,8 bilhões) o resultado econômico é 3,8 bilhões de reais para a BNDESPar, equivalente a um retorno de 47 por cento do total investido”. “O BNDES não confirma a venda de nenhum ativo específico. A BNDESPar acompanha constante­mente as condições de mercado e as oportuni­dades de desinvestimento dos ativos da carteira de valores mobiliários, buscando maximizar valor no longo prazo”, informou o banco.

Share

Related posts