Três Cientistas Levam Nobel da Física por Estudos no Campo da Tecnologia a Laser

ARTHUR ASHKIN, GÉRARD MOUROU E DONNA STRICKLAND

A invenção de “pinças de luz” usadas em pesquisas biológicas e de outras tecnolo­gias a laser em equipamentos básicos do nos­so dia a dia, como impressoras e scanners de supermercado, foi homenageada com o prê­mio Nobel de Física 2018. Os pesquisadores premiados foram o americano Arthur Ashkin, o francês Gérard Mourou e a canadense Donna Strickland. Os três receberam o prêmio por “suas invenções inovadoras no campo da física de lasers”, segundo o anúncio da Academia Real de Ciên­cias da Suécia.

Askin ficou com metade do prêmio, de aproximadamente US$ 1 milhão, pela invenção, em 1987, das chamadas “pinças de luz”, ou pinças ópticas, que são pulsos de luz extre­mamente focada (lasers) usados para imobilizar átomos, vírus, bactérias e outros microrganismos em experimen­tos biológicos, permitindo, assim, uma revolução no estudo da biologia básica da vida e na biomedicina associada a esses organismos.

A outra metade do prêmio foi dividida entre Mourou e Donna, pelo pioneirismo no desenvolvimento de lasers de alta intensidade que podem ser usados de forma segura – por exem­plo, em cirurgias oftalmológicas, para correção de problemas na vista. Eles publicaram um trabalho de referência sobre o assunto em 1985. Donna é a terceira mulher a receber o prêmio de Física desde a sua criação, em 1901.

Share

Related posts