Direita e Esquerda na Política Brasileira

Jair Bolsonaro (PSL)

O Brasil está vivendo um dos momentos mais impor­tantes de sua história com as eleições presidenciais deste ano. As eleições acontecem no domingo, 7 de outubro de 2018. Neste pleito, serão eleitos o Presidente do Brasil e o Vice­-presidente, assim como membros do Parlamento. No exterior, os brasileiros votam somente para presidente. Serão 513 deputados federais e 54 senado­res, além dos vinte e sete governadores dos Estados e do Distrito Federal. A escolha de um novo presidente pode mudar a história do país de forma drástica. A eleição presidencial de 2018 terá o maior número de can­didatos desde a disputa de 1989 – a primeira desde a redemocratização do país. Estão concorrendo, em ordem alfabética, Alvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriota), Ciro Gomes (PDT), Fernando Haddad (PT), Geraldo Alckmin (PSDB), Guilherme Boulos (PSol), Henrique Meirelles (MDB), Jair Bolsonaro (PSL), João Amoêdo (Novo), João Goulart Filho (PPL), José Maria Eymael (PSDC), Marina Silva (Rede) e Vera Lúcia (PSTU). O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teve sua candidatura barrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Até o fecha­mento desta edição, as pesquisas de in­tenção de voto no Brasil apontam para uma nova polarização nas eleições entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

Os perfis de eleitores dos dois candidatos são opostos. Bolsonaro lidera entre maior renda, maior esco­laridade, Sudeste e Sul. Haddad está à frente entre mais pobres, de baixa escolaridade, no Nordeste. Por um lado, os candidatos têm os eleitores

Fernando Haddad (PT)

ONDE O BRASIL SE ENCAIXA NESTE CONTEXTO POLÍTICO?

mais convictos. Por outro, são os mais rejeitados. Tanto Bolsonaro quanto Haddad cresceram nas últimas semanas, ao contrário dos demais concorrentes mais próximos. Bolsonaro oscilou para cima, dentro da margem de erro, e per­manece isolado na primeira posição. Ele está impossibilitado de fazer campanha, se recuperando do atentado que sofreu no dia 6 de setembro.

Haddad cresceu e alcançou a segunda colocação, se afastando de um embolado segundo pelotão. Há dez dias, quatro candidatos estavam em empate técnico no segundo lugar – além de Haddad, Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede).

Jair Bolsonaro (PSL)em seu progra­ma de governo “Caminho da prosperida­de” traz medidas que vão de um ajuste liberal na economia, com diminuição do tamanho do Estado e venda de ativos da Petrobrás, à criação de um superminis­tério (com a fusão das atuais pastas da Fazenda, Planejamento e Indústria) e manutenção de programas sociais. Em outro trecho, as propostas do candidato a presidente caracteriza ações de movi­mentos sociais e fala em liberar o porte de armas para pessoas físicas como medida para diminuir a violência.

O documento apresentado pelo PT do ex-prefeito Fernando Haddad prevê, entre outras propostas, a promoção de políticas visando a igualdade de gênero, superação da pobreza, mudanças no Poder Judiciário, reforma política com participação popular, fortalecimento do SUS e educação como prioridade estra­tégica, além de melhorias no programa Minha Casa, Minha Vida e políticas para o agronegócio.

As propostas de Ciro Gomes pre­veem um papel maior do Estado na indução do desenvolvimento econômico.

Marina Silva (Rede)

O pedetista pretende ampliar o investimento em infraestrutura, que deverá atingir o nível de R$ 300 bilhões por ano, com auxílio do BNDES. Outra proposta do candidato a presidente pelo PDT é criar um fundo para ajudar os brasileiros com nomes sujos por dívidas a refinanciar suas pendências e aumen­tar a margem de consumo da população.

O programa de governo da candi­data da Rede, Marina Silva, propõe que o casamento entre pessoas do mesmo sexo seja protegido por lei e que o Ban­co Central tenha autonomia, mas não tenha independência institucionalizada. As duas propostas divergem do que a candidata a presidente apresentou em 2014 e foram entregues pela campanha em setembro, ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para as eleições 2018. O documento faz ainda defesa contunden­te das reformas política, tributária e da Previdência.

As diretrizes Geraldo Alckmin, o candidato tucano, têm como foco a eco­nomia e a segurança pública, sem entrar em detalhes que possam criar impasses com partidos do Centrão – bloco que fechou apoio a Geraldo Alckmin na eleição. Entre as propostas do candidato a presidente tucano estão uma reforma tributária que unifique impostos e a ampliação do combate à corrupção. Na segurança, o tucano pretende atribuir à Guarda Nacional poderes de polícia e dificultar a progressão de pena para crimes graves.

A plataforma de gorveno de cada candidato pode ser encontrada no site de cada um. A importância do voto consciente é fundamental para a escolha do novo presidente do Brasil. E para isso, precisamos entender o posiciona­mento político dos candidatos e de seus partidos. Sempre existiu um discussão

Ciro Gomes (PDT)

profunda sobre os lados “esquerda” e “direita” dentro da política. Partidos são organizados com base nas ideologias que foram criadas como consequências dessa divisão do poder.

Você sabe qual a diferença entre esses dois lados? Como essas denomina­ções surgiram e quando isso ocorreu? A esquerda e a direita são duas ideologias políticas diferentes. De forma geral, po­demos dizer que a esquerda tem prin­cípios mais revolucionários e a direita, princípios mais conservadores.

Os termos “direita” e “esquerda” surgiram como designações políticas nas assembleias francesas do século XVIII, durante o segundo período da Revolução Francesa (1789-1799). Na as­sembleia para criação da nova Constitui­ção, os partidários do rei não quiseram ficar do lado esquerdo, perto daqueles que eram mais pobres e a favor da revolução. Optaram, assim, por sentar do lado direito. Desde então, a esquerda ficou associada à ideia de luta pelos direitos do povo e dos trabalhadores enquanto a direita ficou associada aos mais tradicionais e conservadores que querem manter o poder da elite.

O que isso tem a ver com esta dis­puta presidencial? Tudo, porque hoje mais do que nunca, estamos escolhendo a forma de governo do Brasil para os próximos anos ao votar no dia 7 de ou­tubro. Queremos um Brasil da esquerda ou um Brasil da direita?

Veja a ideologia de cada uma destas vertentes políticas e vote consciente. As principais diferenças entre a esquerda e a direita baseiam-se no que cada uma dessas ideologias defende. A Esquerda defende os direitos dos trabalhadores e das minorias, o bem-estar coletivo e a igualdade entre os indivíduos. A Direita é a favor de uma visão mais tradicional

Geraldo Alckmin (PSDB)

conservadora que defende o poder da elite e o bem-estar individual. Os indivíduos que defendem o governo em vigor, por exemplo, são considerados “de direita”, e os que se opõem ao regime, são conside­rados “de esquerda”. No caso específico do Brasil, a esquerda, representanda pelo PT, está no poder e a direita se posiciona contra o governo atual.

A ESQUERDA E A DIREITA NA

POLÍTICA BRASILEIRA

O marco da divisão de ideologias no Brasil ocorreu durante a ditadura militar. Nesse período, aqueles que apoiaram o golpe dos militares foram considerados “direitistas” ou “de direita” pois eram a favor do regime vigente. Os que se opuseram ao regime foram considerados “esquerdistas” ou “de esquerda”.

Atualmente, os principais partidos no Brasil são: Partidos de esquerda: PSB, PSOL, PT e PCdoB. Partidos de direita: PP, DEM, PR e PSC. Não tem como citar partidos que são abertos para intenção de votos de candidatos em esferas diferen­ciadas. Novamente, para entender o que acontece no Brasil hoje, temos vários par­tidos de direita se posicionando contra o poder estabelecido do governo do PT, que é considerado desde sua fundação como partido de esquerda.

ESPECTRO POLÍTICO

DIVERSIDADE DE IDEIAS POLÍTICAS

Para vários estudiosos, os conceitos de direita e de esquerda são considerados muito limitados para definirem a diver­sidade política, pois já não são conceitos únicos e absolutos. Desde a queda do muro de Berlim, há uma diversidade muito maior de ideias políticas. É possível, inclusive, acontecer de alguns indivídu­os concordarem em parte com as ideias esquerdistas e em parte com as ideias direitistas.

De acordo com alguns historiadores, levando em consideração os posiciona­mentos de determinados políticos eles podem classificar-se como de direita e esquerda. Veja as principais características das ideologias de esquerda e de direita.

ESQUERDA

Progressistas;

Sociais-liberais;

Ambientalistas;

Social-democratas socialistas;

Democrático-socialistas;

Libertários socialistas;

Secularistas;

Comunistas;

Anarquistas.

DIREITA

Capitalistas;

Neoliberais;

Econômico-libertários;

Conservadores;

Reacionários

Neoconservadores;

Anarcocapitalistas;

Monarquistas;

Teocratas;

Nacionalistas.

Nesse momento, o mais importante é fazer uma análise crítica dos canditados e votar consciente.

Share

Related posts