Fotógrafa Pioneira que Escapou da Perseguição Nazista Recebe Homenagem Alemã

Uma mulher que fugiu da perseguição nazista quando criança e que depois liderou uma campanha para salvar uma tribo na Amazônia, está recebendo a principal homenagem cultural na Alemanha, a Medalha Goethe.

Claudia Andujar, fotógrafa e ativista, com Davi Kopenawa, um xamã e porta-voz dos Yanomami, 2010. © Fiona Watson/Survival

Claudia Andujar recebeu hoje, 28 de agosto, o renomado prêmio em uma cerimônia em Weimar. Vencedores anteriores incluem o músico Daniel Barenboim, o autor John le Carré, e o arquiteto Daniel Libeskind.

Claudia está sendo homenageada pelo seu trabalho inovador com os Yanomami, que levou ao estabelecimento da maior área florestal sob controle indígena no mundo. Especialistas dizem que os Yanomami não teriam sobrevivido sem o ativismo de Claudia. A Survival International lançou a campanha globalmente.

Um xamã Yanomami, uma das milhares de fotografias dos Yanomami que Claudia tirou durante seu trabalho de décadas com o povo. © Claudia Andujar/Survival

Stephen Corry, Diretor da Survival International, o movimento global pelos povos indígenas, apresentou Claudia na cerimônia, reconhecendo sua participação vital na sobrevivência dos Yanomami. Davi Kopenawa, o famoso xamã Yanomami, conhecido como o “Dalai Lama da Floresta” também compareceu.

Claudia Andujar inicialmente viajou ao território Yanomami na década de 1970 como fotógrafa, e voltou muitas outros vezes para visitar e morar com a tribo. Ela testemunhou escavadoras destruindo aldeias Yanomami para construir a Rodovia Perimetral Norte, bem como as ondas de doenças trazidas pelos construtores, e depois garimpeiros ilegais, que dizimaram a população Yanomami.

Claudia disse ao Instituto Goethe: “Em campos de concentração, os prisioneiros eram marcados com números tatuados em seus braços. Para mim, eles eram aqueles marcados para morrer. O que eu tentei fazer depois com os Yanomami foi marcá-los para viver, para sobreviverem.”

Um mapa mostrando uma área demarcada como o Parque Yanomami no Brasil. Até hoje, a terra dos Yanomami é a maior área florestada sob controle indígena do mundo. © ISA Instituto Socioambiental

Em 1992, após 14 anos de campanhas, o Brasil finalmente demarcou o território Yanomami. No entanto, a tribo continua a enfrentar muitas ameaças graves pois as autoridades brasileiras não protegem adequadamente a área. O território continua sendo invadido por garimpeiros ilegais que trazem violência e doenças, e uma epidemia de sarampo está atualmente ameaçando a tribo na fronteira Brasil-Venezuela.

Share

Related posts