De Cruzeiro para Bahamas

Quando surgiu a oportunidade de voltar a Bahamas, não pensei duas vezes: vamos de cruzeiro para Nassau. Como a opção era um programa de final semana para celebrar o aniversário de uma amiga, Gislene Tostes, optamos pelo Norwegian Cruise Line, com saída de Cape Canaveral, para pegar um navio que foi reformado em 2018, o Norwergian Sun. A opção não poderia ter sido mais acertada: com duas paradas, uma em Nassau e outra na ilha privada do navio, a Great Stirrup Cay, o programa foi perfeito. Bahamas tem mais de 700 ilhas e 2.000 ilhotas com água transparente. Um país com um povo alegre e carismático, com muitas praias de areia fina, branca e águas cristalinas em diversos tons de azul e verde, Bahamas só poderia ter como um dos pilares da sua economia o turismo. Sua história é muito interessante. As Bahamas eram habitadas pelos índios Lucaianos, quando Cristóvão Colombo aportou nas ilhas paradisíacas e hoje é um destino turístico internacional.

CENTRO DE BAHAMAS

Entre os anos de 1600 e 1700, a capital Bahamenha foi fortaleza de piratas e corsários espanhóis, que deixaram diversas lendas como Barba Negra e Calico Jack. Em 1718 tornaram-se uma colônia da coroa britânica, que apertaram o cerco à pirataria. A sua independência foi muito recente, em 1973, e por isso ainda mantém muitas tradições britânicas: como a mão inglesa; um pouco do sotaque, que é uma mistura do inglês da Inglaterra e dos Estado Unidos.

Outro ponto que sofre clara influência britânica é a forma de governo, que é baseado no modelo de Westminster: Sua Majestade, a Rainha Elizabeth II, o Executivo, o Legislativo, o Judiciário. São um país membro do Commonwealth, reconhecendo Sua Majestade, a Rainha Elizabeth II, como o chefe de Estado.

ODILON & GISLENE TOSTES, LAINE FURTADO & JOE SOUZA

O governador-geral é o representante de Sua Majestade nas Bahamas e constitui um símbolo da unificação da nação. Dos em torno de 350.000 habitantes das Bahamas a predominância é de afro-descendentes. Seus antepassados eram escravos que foram trazidos para as ilhas para trabalhar nas plantações de algodão.

Apesar da enorme quantidade de ilhas existentes no arquipélago, são apenas dezesseis ilhas preparadas para receber os turistas. As maiores ilhas em termos econômicos e de infraestrutura são New Providence e Grand Bahamas, embora mesmo elas ofereçam locais mais afastados com exclusividade. Por isso Bahamas ainda é e sempre será um destino único, um verdadeiro paraíso.

A capital é a cidade de Nassau, que fica situada na ilha de New Providence, onde moram cerca de dois terços de toda a população do país e que além de ser o centro comercial é também o centro dos poderes políticos do país.

FORT FINCASTLE & WATER TOWER

Em New Providence fica localizada também a Paradise Island, muito famosa por ser a sede dos maiores e mais sofisticados resorts do país, um deles é o Atlantis. Ela é praticamente conectada à Nassau sendo interligadas por duas pontes. Nassau e a Paradise Island em conjunto são a região mais turística e visitada de todo país, com oferta de cassinos, compras, restaurantes, mergulho, passeios de barco e muito mais.

De quebra, passamos um dia na ilha privada da Norwegian Cruise Line, a Great Stirrup Cay, que apresenta uma infra-estrutura super legal com praia privada, restaurante, música ao vivo e uma programação bem vasta para que o turista possa curtir ao máximo seu dia de lazer numa praia privada.

Não podemos deixar de citar que entre as vantagens de fazer um cruzeiro para as Bahamas está a oportunidade de curtir as amenidades do navio, com tudo incluído, alimentação, drinks, atrações variadas, piscina, gym e restaurantes.

ATLANTIS HOTEL & RESORT
Share

Related posts