Você Tem Fome de Quê?

Os desejos de comida podem ter relação com outras vontades. Anseios, carências e frustrações, acabam se revelando como vontade de comer, que é muito mais fácil suprir. Um exemplo bem corriqueiro é a substituição do sono por comida. Você sente cansaço e sabe que precisa de mais energia. E o que pode lhe fornecer energia rápida? Café, certo. Melhor ainda, café com um doce. Exato! Por isso que aquele café com bolo no meio da tarde é irresistível. Seu corpo está pedindo energia, e é o que o açúcar vai lhe oferecer, de imediato. Mas não se apegue muito a essa conclusão rápida, porque o açúcar vai causar um pico de glicose, que vai sim proporcionar energia; por pouco tempo, até que esses níveis despenquem de novo e você pense que outro pedaço de bolo ou um chocolate é exatamente o que você precisa.

Afinal você não comeu muito, deve estar com fome de novo, certo? Errado, a falta de nutrientes na última refeição está fazendo seu organismo lhe pedir comida, agora comida de verdade, com nutrientes, mas você só ouve a parte “comida” e consome mais açúcar para ter mais energia e acaba criando um ciclo vicioso. Mas vamos esperar que você esteja se alimentando bem e dar continuidade à ilustração dos desejos de comida.

Digamos que todos os dias após o almoço você tenha desejo de doce. O que é absolutamente normal, especialmente se você comeu algo de sabor forte, como carne por exemplo. Porém em alguns casos, essa vontade pode estar associada a uma doce memória da sua infância. Como sua mãe, que lhe fazia deliciosas sobremesas.

É muito comum a associação de emoções à vontade de comer determinado alimento. E é muito simples desvendar esses mistérios do nosso corpo para trabalhar a dissociação das lembranças do prazer proporcionado pelo sabor do alimento. Assim você pode por exemplo telefonar para a sua mãe ou lembrar dela com carinho, par a acalentar seu coração saudoso, em vez de comer o primeiro doce que cruzar o seu caminho.

Em geral, todo desejo tem um porquê. A explicação mais básica é a busca de prazer. Comer acalma quem está ansioso, preocupado ou irritado, além de distrair quem está entediado e ocupar quem está desocupado.

Comer como distração é mais comum do que você pensa. Quando estamos sozinhos e surge aquela vontade de comer alguma coisa: solidão, falta de companhia, saudade. E quando estamos assistindo a um filme que não é o que esperávamos: tédio, insatisfação.

É importante, contudo, cuidar com o que comemos por distração, ou desnecessariamente para evitar criar hábitos que não serão saudáveis e para manter a saúde. Procure descobrir de onde vem essa vontade de comer, ou se é fome mesmo.

Mas como saber se você está com fome ou vontade de comer? É simples: a fome é física; a vontade de comer é psíquica. Quando está genuinamente com fome, você sente fisicamente em seu estômago, além do fato de já terem passado algumas horas da sua última refeição.

A vontade de comer é uma ideia que surge da sua mente e não do seu estômago; e geralmente é bem específica, você tem vontade de comer tal coisa. Se não tem certeza, pergunte a si mesmo se você quer uma maçã. Se você está com fome, não vai recusar uma maçã. Agora se a resposta for “não, eu quer o um bolo de chocolate” eu diria que você não está com fome física, e sim com vontade de comer.

“A gente não quer só comer, a gente quer prazer para aliviar a dor ” – esse trecho da música “Comida”, da banda Titãs, retrata claramente essa relação do ato de comer com anestesiar outros sentimentos. Distrair a mente das dificuldades, proporcionando pequenas doses de prazer em forma de chocolate por exemplo. E isso não é um mal, só precisa ser monitorado para que não se torne um vício em comida, e não leve a problemas de saúde, como obesidade ou depressão.

Explore suas vontades, seus sentimentos e ouça o seu corpo, dê atenção ao que ele pede e atenda às suas necessidades. Afinal, comer é um dos grandes prazeres da vida. E esse prazer deve ser bem aproveitando e não desperdiçado com qualquer alimento de má qualidade, pobre em nutrientes. Procure comer alimentos saborosos e saudáveis, que venham a satisfazer suas vontades enquanto nutrem seu corpo.

Sabrina Powell é pós-graduada em Saúde e Bem-estar, Bacharel em Turismo e Lazer, proprietária da Movimento Wellness – a movement for well-being, Coach de Saúde e Bem-estar e Instrutora de Pilates. Informações sobre o tema pelo E-mail: coach@movimentowellness.com ou no site: movimentowellness.com.

Share

Related posts