As Mudanças na Nossa Vida

Nesta edição da Linha Aberta não poderíamos deixar de falar da história de amor de Meghan Markle e príncipe Harry. Uma história que enche nossos olhos de alegria ao ver que contos de fada existem e podem acontecer a qualquer momento. Muitos questionam se é destino, sorte, estrela mais brilhante ou se a pessoa nasceu com o bumbum para a lua. Posso dizer que não sabemos porque algumas pessoas tem a sorte grande de viver uma história como a de Meghan, ou o destino de uma vida como a da princesa Diana, o certo é que Deus, na sua onisciência, sabe todas as coisas e conhece o nosso destino, antes mesmo de existirmos. E o que Ele quer para nossas vidas é a sua vontade perfeita.

E que nós, seres humanos, cheios de falhas e de vontades, muitas vezes, escolhemos nossos caminhos sem consultar a Deus sobre sua vontade para as nossas vidas, e sempre colhemos o que plantamos. A história de Meghan, filha de pais separados, divorciada, com uma história tão comum a tantas mulheres, nos mostra que todos somos iguais perante Deus e que o nosso destino pode sim, mudar e ter um final feliz, talvez não eternamente, mas que possa ser eterno enquanto dure, conforme nosso poeta Vinícius de Morais.

E nesta vibe histórica, temos outro relato surpreendente da eterna Dalva de Oliveira, que volta a ser destaque na mídia como o documentário 100 Dalva, um filme sobre a vida da cantora que marcou sua época, num artigo exclusivo de Phydias Barbosa. Dalva de Oliveira será relembrada em documentário de longa metragem dirigido pelo seu neto, o cineasta Bernardo Martins, filho do cantor Pery Ribeiro. Uma família de artistas, já que o avô de Bernardo, que foi marido dela, é o cantor e compositor Herivelto Martins, que compôs mais de 700 músicas. Com uma família desse pedigree, Bernardo, que é cineasta, resolveu fazer a sua própria homenagem e está empenhado em produzir o documentário, que já tem mais de 80% de cenas rodadas com diversos depoimentos de artistas e fãs.

Entre outros assuntos, destaque para o artigo de Sabrina Powell que fala sobre nossa vontade de comer não só alimentos. Segundo ela, os desejos de comida podem ter relação com outras vontades. Anseios, carências e frustrações, e acabam se revelando como vontade de comer, que é muito mais fácil suprir. Um exemplo bem corriqueiro é a substituição do sono por comida. Descubra todos essas relações emocionais que temos com a comida nesta matéria super atual. Temos ainda outras matérias super interessantes na edição deste mês. Boa leitura.

Share

Related posts