Chefe militar da região de Mossul diz que líder do Estado Islâmico admitiu derrota em comunicado

Segundo chefe do Conselho de Segurança da província iraquiana de Ninawa, da qual Mossul é capital, líder Abu Bakr al-Bagdadi ‘se despediu’ de seus seguidores em discurso escrito.
O chefe do Conselho de Segurança da província iraquiana de Ninawa, da qual Mossul é capital, Mohammed Ibrahim al-Bayati, disse à Efe que o líder máximo do Estado Islâmico (EI), Abu Bakr al-Bagdadi, admitiu a derrota do grupo terrorista em Mossul em um comunicado.
Segundo o líder militar iraquiano, al-Bagdadi “se despediu” de seus seguidores em discurso escrito distribuído em Mossul, no qual admitiu a derrota de suas forças frente às tropas governamentais no Iraque.
A publicação foi distribuída entre colaboradores próximos a al-Baghdadi e entre os ímãs das mesquitas dos bairros do oeste de Mossul, que ainda estão em mãos dos jihadistas, explicou à agência EFE al-Bayati.
No texto, al-Baghdadi admitiu a derrota do Estado Islâmico na província de Ninawa e nos demais “estados de seu califado”, segundo Al Bayati.
O líder jihadista teria instruído os membros do grupo a fugir para as zonas montanhosas no Iraque e Síria, embora tenha ordenado que ataquem caso estejam cercados pelas forças iraquianas.
As tropas iraquianas têm informações de que alguns integrantes do chamado “Conselho consultivo” do Estado Islâmico escaparam de Mossul e da comarca de Tal Afar, ao oeste de Mossul, rumo ao território sírio, onde ainda mantêm Al Raqqa, considerada a capital do autoproclamado “califado”.
Al Bayati afirmou que os líderes destacados do EI “se movimentam sem rumo claro” nas fronteiras entre Iraque e Síria, entre elas nas zonas de Al Beach e Al Qaim “temerosos pelo que ocorreu com seus companheiros que permaneceram nas frentes de combate”.
Enquanto isso, outros tiraram a barba e ficaram como células dormentes na cidade de Mossul, à espera de receber instruções dos líderes do grupo radical.
As Forças de Segurança iraquianas perseguem essas cédulas e querem prender centenas delas com base em informações facilitadas pelos habitantes de Mossul, acrescentou o responsável policial.
O Exército e a polícia iraquianos, cujos serviços de inteligência têm uma lista dos procurados pela justiça, realizam uma ofensiva para expulsar o Estado Islâmico da metade oeste de Mossul, seu último grande reduto no Iraque.
Estado Islâmico acuado
Nesta quarta-feira, unidades do Exército do Iraque apoiadas pelos Estados Unidos tomaram controle da última grande rodovia de saída do leste de Mossul, no Iraque, que estava sob comando do Estado Islâmico, disseram um general e moradores da região, sufocando militantes do grupo jihadista em uma área cada vez menor dentro da cidade.
Forças iraquianas capturaram o lado leste de Mossul em janeiro após 100 dias de confrontos e realizaram ataque contra distritos que ficam a oeste do rio Tigre em 19 de fevereiro.
O comandante dos Estados Unidos no Iraque disse acreditar que forças apoiadas pelos EUA irão retomar Mossul e Raqqa, reduto do Estado Islâmico na Síria, dentro de seis meses.

Related posts