Trump diz que decisão judicial contra seu veto migratório é ‘vergonhosa’

Departamento de Justiça pode apresentar um recurso perante a Suprema Corte ou solicitar outra revisão da sentença a uma corte federal com um número maior de juízes.
O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta sexta-feira (10) que a decisão de um tribunal de apelação que manteve suspenso seu veto temporário à entrada no país de refugiados e cidadãos de sete países muçulmanos é “vergonhosa”. A ordem de Trump, assinada em 27 de janeiro, provocou protestos e tinha sido suspensa em caráter temporário.
“LAWFARE: De maneira extraordinária, em todo seu veredicto, o painel (de juízes) não se preocupou inclusive em citar este estatuto. Uma decisão vergonhosa!”, criticou a sentença de três juízes do tribunal, em sua conta pessoal no Twitter. LAWFARE é estatuto no qual se baseia o polêmico decreto que barrava a entrada no país de cidadãos vindos de: Líbia, Sudão, Somália, Síria, Iraque, Irã e Iêmen.
Na quinta-feira, três juízes – dois democratas e um republicano – do Tribunal de Apelações do Nono Circuito, com sede em San Francisco (Califórnia), rejeitou por unanimidade que o bloqueio ao veto põe o país em perigo, como argumenta o governo. Apesar da decisão unânime, Trump disse na noite de quinta que a decisão foi “política”.
“NOS VEMOS NOS TRIBUNAIS, A SEGURANÇA DE NOSSO PAÍS ESTÁ EM JOGO!”, ressaltou o presidente, usando letras maiúsculas, em mensagem publicada no Twitter.
O Departamento de Justiça pode apresentar um recurso perante a Suprema Corte ou solicitar outra revisão da sentença a uma corte federal com um número maior de juízes.
A ordem de Trump suspendia durante 120 dias o programa de amparo a refugiados dos EUA – ou indefinidamente, no caso dos refugiados sírios – e paralisava durante 90 dias a emissão de vistos para cidadãos dos sete países de maioria muçulmana.
Dada a suspensão temporária do decreto, os cidadãos dos países afetados se apressaram para viajar aos EUA com os vistos que já tinham.

Related posts