Nas comunidades rurais da Florida, as encomendas podem começar a cair do céu

UPS testou com sucesso utilização de um drone não pilotado para entregar uma encomenda a partir de um camião em movimento.
Não é a primeira vez que as empresas de distribuição e logística anunciam a utilização de mecanismos de automação e robótica para agilizar as suas operações. Mas é a primeira vez que uma dessas grandes empresas de distribuição e logística anuncia ter testado com eficácia a entrega de uma encomenda numa casa isolada de Tampa, na Florida, através de um drone que sai de um camião enquanto o condutor continua a rota para fazer uma entrega separada.

PUB

O anúncio foi feito pela UPS e o teste terá sido realizado na segunda-feira numa pequena localidade da Florida, EUA, em parceria com o Workhorse Group, um fabricante de drones e camiões elétricos a bateria. A Workhorse fabricou o drone e a carrinha da UPS utilizados no teste. Ao contrário de todos os testes anteriores realizados pela UPS, este último demonstrou como os drones podem ajudar a fazer entregas ao domicílio não urgentes como parte das operações diárias.A operação é simples de explicar: as bases do drone pousam no tejadilho do camião de entrega, existindo uma caixa suspensa por baixo do drone que se estende através de uma escotilha para o camião. O condutor coloca um pacote na caixa e pressiona um botão num ecrã táctil para enviar o drone para uma rota autónoma, predefinida para um endereço. O drone tem um tempo de voo de 30 minutos e pode transportar um pacote até 4,5 quilos.

“É fantástico ver esta tecnologia aplicada de uma forma tão prática”, referiu Stephen Burns, fundador e CEO da Workhorse, num comunicado enviado às redacções. “O drone é totalmente autónomo. Não precisa de um piloto. Assim, o condutor de entrega pode fazer outras entregas enquanto o drone estiver longe”, explica.

O entusiasmo de Mark Wallace, vice-presidente UPS, citado no mesmo comunicado, também se percebe: “Imagine uma rota de entrega triangular em que as paragens estão afastadas várias milhas [quilómetros] por estrada. Ao enviar um drone de uma carrinha para fazer apenas uma dessas entregas é possível reduzir as milhas realizadas e, como consequência, os custos. Este é um grande passo para o reforço da eficiência na nossa rede e, simultaneamente, para a redução das nossas emissões”. Wallace lembra ainda que esta tecnologia terá grandes implicações nas entregas do futuro, principalmente em locais rurais.

Related posts