Exército faz segurança na falta da PM

Na Terceira Ponte e em Guarapari, pedágio voltou a ser cobrado.
Os ônibus voltaram a circular gradativamente na Grande Vitória às 9h desta terça-feira (7), segundo o sindicato dos Rodoviários (Sindirodoviários-ES). Mas os coletivos serão recolhidos às 19h por causa da insegurança.
O Espírito Santo está sem a PM nas ruas porque protestos de familiares dos policiais bloqueiam as saídas dos batalhões. As famílias pedem reajuste salariam para a categoria, que é proibida de fazer greve. Desde sábado (4), o estado vive uma onda de violência com mortes, saques e assaltos.
Mesmo com a volta dos coletivos, as escolas, os postos de saúde, alguns bancos, parte do comérico e algumas repartições públicas seguem fechadas. Na Terceira Ponte e em Guarapari, a cobrança do pedágio voltou a ser feita. (Veja abaixo a lista do que funciona no estado)
Entenda a crise na segurança no ES
– Os PMs reivindicam aumento nos salários, pagamento de benefícios e adicionais e criticam as más condições de trabalho.
– Como os PMs não podem fazer greve, as famílias foram para a frente dos batalhões para impedir a saída das viaturas policiais.
– O bloqueio começou no sábado (4) e atinge a Grande Vitória e cidades como Linhares, Aracruz, Colatina, Cachoeiro de Itapemirim e Piúma.
– Desde então, o estado registrou 68 mortes violentas, ante 4 em todo o mês de janeiro, segundo o sindicato da Polícia Civil.
– Escolas, postos de saúde e parte do comércio estão fechados desde segunda-feira (6), quando ônibus também pararam de circular. Os coletivos voltaram a rodar na manhã desta terça (7), mas serão recolhidos novamente às 19h.
– 1.000 homens das Forças Armadas fazem policiamento na Grande Vitória desde segunda; 200 integrantes da Força Nacional começam a atuar nesta terça.
Coletivos
Os ônibus pararam de circular às 16h desta segunda-feira (7) por causa da onda de violência que começou com a falta de policiamento em várias cidades. Nesta manhã, o Sindirodoviários-ES informou que os coletivos começaram a sair das garagens após uma reunião dos trabalhadores com o governo.
No entanto, caso alguma violência seja registrada com os coletivos ou motoristas, cobradores e passageiros, a circulação será suspensa, segundo o sindicato.
Por segurança, homens do Exército estão nos terminais rodoviários fazendo o policiamento.
Desde sábado, foram registradas 68 mortes violentas, segundo o Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol). O governo não confirma o número. Dois ônibus foram incendiados na noite de domingo (5), e há relatos de arrastões e de assaltos a lojas.
Homens das Forças Armadas e da Força Nacional (formada por policiais de outros estados), começaram a fazer o policiamento ostensivo nas ruas da Grande Vitória nesta segunda-feira (6). Nas cidades do interior, o policiamento vai acontecer de forma gradativa.

Related posts