Brasileiro Roberto Azevêdo é eleito para 2º mandato como diretor-geral da OMC

Roberto Azevêdo era candidato único. Brasileiro exerce cargo desde 2013.
O Brasileiro Roberto Azevêdo foi eleito pelo Conselho-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), órgão máximo do comércio internacional, para seu segundo mandato como diretor-geral da instituição, cargo que ele exerce desde setembro de 2013. O segundo mandato, de quatro anos, terá início em 1º de setembro de 2017.
Segundo nota divulada pelo Ministério das Relações Exteriores, Azevêdo era candidato único. “Esse fato expressa o amplo reconhecimento dos Membros da OMC à contribuição do Diretor-Geral para os resultados alcançados pela Organização durante seu primeiro mandato (2013-2017)”, afirma a nota divulgada pelo Itamaraty.
Entre os destaques de seu mandato estão a conclusão da negociação do Acordo de Facilitação de Comércio (AFC), primeiro acordo multilateral celebrado pela OMC. Em 2015, a OMC também conseguiu um acordo histórico sobre o fim dos subsídios à exportação de produtos agrícolas durante a Conferência Ministerial de Nairobi.
Diplomata de carreira, Azevêdo nasceu em Salvador e é formado em Engenharia Elétrica pela Universidade de Brasília (UNB). Ele trabalhava no Itamaraty desde 1983. Especialista em comércio internacional, desde 2008 ele era o representante do Brasil na OMC e atuava como “negociador-chave”.
Antes, ocupou diversos cargos relacionados a assuntos econômicos no Ministério das Relações Exteriores, tendo atuado em contenciosos como os casos de Subsídios ao Algodão (iniciado pelo Brasil contra os Estados Unidos), Subsídios à Exportação de Açúcar (iniciado pelo Brasil contra as Comunidades Europeias) e Medidas que Afetam a Importação de Pneus Reformados (litígio iniciado pelas Comunidades Europeias), além de chefiar a delegação brasileira na Rodada Doha.

Related posts