Ataque com coquetel molotov em metrô de Hong Kong deixa 15 feridos

Suspeito, um homem de 60 anos chamado Cheung Kam-fai, foi detido depois do ataque. Segundo autoridades, incidente não tem relação com terrorismo.
Pelo menos 15 pessoas ficaram feridas nesta sexta-feira (10), oito delas em estado grave, por um incêndio no metrô de Hong Kong, na China, causado depois que um homem lançou um coquetel molotov dentro de um vagão.
O suspeito, um homem de 60 anos chamado Cheung Kam-fai, foi detido depois do ataque, perpetrado dentro de um vagão de metrô em uma movimentada estação da cidade.
Cheung afirmou que realizou o ataque por “razões pessoais”, segundo disse o comandante da polícia do distrito de Yau Tsim, Kwok Pak-chung, ao jornal “South China Morning Post”.
“Nossas investigações iniciais mostram que o incidente não tem nada a ver com o terrorismo”, disse Pak-chung.
O jornal afirma que dois feridos estão em estado crítico, enquanto outros seis apresentam lesões graves.
Vários vídeos gravados por testemunhas mostram um homem em chamas, enquanto alguns passageiros tentam apagar o fogo.
“Não pudemos fazer nada, só inalar fumaça, enquanto um dos passageiros estava coberto em chamas”, disse Ray Chau, um passageiro do vagão.
O incidente ocorreu em uma das linhas de metrô mais movimentadas da cidade, a que conecta o centro financeiro de Hong Kong com a parte continental, por volta das 19h local (9h, em Brasília), quando os trens estavam cheios.
A estação afetada dá acesso a uma das zonas comerciais e turísticas mais movimentadas de Hong Kong.
Vários policiais de elite, que fazem parte de um grupo criado para combater possíveis atos terroristas, foram enviados ao local com uma outra unidade de 160 agentes e mais de 100 bombeiros.
O ataque provocou o fechamento temporário da estação de metrô.

Related posts