Fábio Porchat apresenta stand-up “Fora do Normal” pela primeira vez na Flórida

O stand-up comedy “Fora do Normal”, com Fábio Porchat, que estreou em 2012 no Rio de Janeiro, será apresentado pela primeira vez na Flórida, no teatro Bob Carr, em Orlando, no dia 04 de fevereiro. A produção cultural é da BIS Entertainment, empresa que atua na Flórida, pioneira em levar grandes produções brasileiras para os Estados Unidos.
Porchat é um artista multifacetado: roteirista, ator, comediante, apresentador. Começou a trabalhar com humor quando foi redator do programa Zorra Total. De lá para cá não parou mais. Já integrou elenco fixo de A Grande Família e é um dos sócios do portal de humor Porta dos Fundos. Em 2016 recebeu o maior desafio de sua carreira: apresentar o Programa do Porchat, na Record. “Essa é a maior responsabilidade que já tive, é o maior projeto que eu tenha tomado frente”, declara.
Feliz com a empreitada, o comediante acredita que as coisas estão encaminhadas em sua carreira. “2017 é o meu ano”, avisa.
O Espetáculo
De 2012 para cá “Fora do Normal” já viajou para Portugal e Japão, sempre para uma plateia de brasileiros. Essa é a primeira vez que Porchat leva o stand-up para os Estados Unidos. A Flórida, para ele, é um lugar especial. “Gosto tanto que passei a minha lua de mel lá”, conta. Amante de viagens, Porchat segue para Bahamas e Los Angeles após temporada no estado norte-americano. Antes aproveitou dez dias deliciosos na Austrália e Nova Zelândia. Essa é a primeira vez que tira férias desde que passou a apresentar o próprio programa. “Por mim tiraria férias no segundo mês”, brinca. “Nunca sofri uma pressão tão grande”, conta ele. Quando retornar, a peça fará nova turnê pelo Brasil.
“Fora do Normal” leva ao palco observações bem humoradas sobre situações do cotidiano, como viagens de avião, relacionamentos e as famosas ligações de telemarketing. A expectativa para a apresentação em Orlando é muito boa.
Porchat deve detalhar algumas piadas, que são muito regionais, e promete captar algumas coisas que estejam acontecendo no país para personalizar o texto. “Fazer as pessoas darem risada é como encontrar uma luz no fim do túnel”, diz. “Eu gosto de fazer rir”. A fundadora e CEO da BIS, Priscila Triska, ficou encantada com o talento do ator, quando assistiu no Rio de Janeiro, no Teatro das Artes, a peça Meu Passado me Condena. Foi lá que a empresária fez o convite para apresentar a comédia em Orlando. “Porchat é genial e com certeza o nosso público vai matar a saudade do humor brasileiro”, espera ela.
Para o ator, a nova geração de comediantes está levando para o teatro uma juventude que até então não conhecia a arte.
Para o stand-up, Porchat conta que só precisa de um microfone e do público. “A ideia é não ter personagem, não ter luz, cenário ou figurino”, explica. “O stand-up renasceu com uma nova geração de comediantes, que veio para falar o que queria, inclusive nomes de marcas e palavrões”, conclui.
O stand-up americano, segundo ele, discute sobre temas polêmicos, como política, aborto, suicídio. “Acho que esse vai ser o próximo passo do teatro brasileiro”, reflete.

Related posts