Trump promete deportar todos os ilegais se chegar à Casa Branca

O candidato republicano Donald Trump esclareceu mais uma vez que não retirará os comentários que fez sobre os imigrantes sem documentos que moram nos Estados Unidos. E está disposto a ir mais longe. O magnata apresentou um plano de imigração no qual promete deportar 11 milhões de ilegais se chegar à Casa Branca. Trump confirmou que está disposto a liderar uma campanha ligada à ala mais conservadora do Partido Republicano.

Essa posição é especialmente perigosa para todos os seus rivais, e até para ele próprio, caso consiga ser candidato à presidência. Nas eleições de 2008 e 2012, o eleitorado hispânico enviou uma mensagem clara aos republicanos: seu discurso sobre a imigração e seu rechaço à reforma do sistema migratório colocavam em perigo seu voto no futuro.
A direção tomada por Trump os afasta ainda mais. “Manteremos juntas as famílias”, disse o candidato sobre os imigrantes sem documentos, “mas eles têm de ir embora”. O magnata reiterou que a solução para a imigração ilegal é a construção de um muro na fronteira entre EUA e México, a ser pago pelo governo do presidente Enrique Peña Nieto. “Não podemos deixar que continuem se aproveitando de nós.”

O plano do candidato, publicado em seu site na Internet, propõe além disso a anulação das ordens executivas do presidente Barack Obama nas quais cancelou a deportação dos ilegais sem antecedentes criminosos. Trump também eliminaria as permissões concedidas aos dreamers –sonhadores, como são chamados os imigrantes que entraram nos EUA muito jovens – e modificaria a Constituição para retirar o direito à cidadania dos nascidos nos EUA de pais que residem ilegalmente no país.

Quando o jornalista Chuck Todd pressionou-o para que explicasse como ia realizar as deportações, o candidato recorreu a uma de suas práticas habituais, responder com outra pergunta: “Você realmente acha que é muito difícil para eles morar aqui?” Mas seu plano faz uma concessão: “as boas pessoas poderão voltar”.

Related posts