Econômia – Brasileiros estão mais individados

Econômia – Brasileiros estão mais individados

O número de brasileiros com dívidas em atraso cresceu 2,33% em fevereiro, na comparação com o mesmo mês de 2014, informaram a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) nesta terça-feira (10).

din_bra_uru63-850x566

Apesar do crescimento, o número representa desaceleração frente a janeiro, quando o número de inadimplentes avançou 3,12%. O aumento do mês passado também representou a menor variação desde o início da série histórica, em janeiro de 2011, informaram as entidades.

Os economistas do SPC Brasil avaliram que a desaceleração do indicador não tem qualquer relação com o aumento da quantidade de pagamentos de dívidas em atraso. De acordo com a entidade, o que ocorre é justamente o contrário: o consumidor enfrenta dificuldades com a piora do nível de emprego e com a redução do poder de compra dos salários por conta da inflação.

“Os bancos e os estabelecimentos comerciais passaram a ser mais rigorosos e criteriosos na hora de conceder financiamentos e empréstimos, o que implica em uma menor oferta de crédito na praça. Como consequência, a inadimplência vem recuando mês após mês”, afirmou a economista do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Queda na demanda por bens mais caros
Pelo lado dos consumidores, a CNDL e o SPC Brasil observam que houve uma queda na demanda por bens mais caros como automóveis, motos, produtos das linhas branca, móveis, eletrodomésticos e materiais de construção.

“Justamente os bens mais dependentes de financiamento”, observou o presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Honório Pinheiro, lembrando que, no mês de fevereiro, o volume de vendas a prazo recuou 4,83%, segundo o indicador de consultas do SPC.

Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Foto: Marcos Santos/USP Imagens

53,6 milhões de inadimplentes em fevereiro
Em números absolutos, o SPC Brasil estimou que, em fevereiro de 2015, havia 53,6 milhões de devedores negativados, número equivalente 36,89% da população entre acima de 18 anos. Em janeiro, a estimativa era de 54,6 milhões, o que significa uma diminuição de aproximadamente um milhão de consumidores com dívidas em atraso na passagem de janeiro para fevereiro deste ano.

Setores
O detalhamento por segmento credor da dívida mostra que o setor de comunicação (telefonia fixa, telefonia móvel, TV a cabo, internet) é o que mais concentra crescimento no número de pendências não pagas (alta anual de 8,48%), dando prosseguimento à tendência observada nos últimos meses, informaram a CNDL e o SPC Brasil.

Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Foto: Marcos Santos/USP Imagens

A segunda maior variação, também mantendo a tendência dos últimos relatórios, foi apresentada no setor de água e luz (+6,67%). Por outro lado, o comércio mostrou a menor variação no número de dívidas para o mês de fevereiro desde 2012, com retração de 1,12%.

Share

Related posts