Lytron
My Partner
cultureholidays

A história do Valentine’s Day

Em muitos países, o Dia dos Namorados é chamado também de Dia de São Valentim, como no caso dos Estados Unidos. No Brasil, a data é comemorada em 12 de junho, por ser véspera do Dia de Santo Antônio, santo (português) com tradição de casamenteiro, mas para os brasileiros que vivem nos Estados Unidos, a celebração acontece no dia 14 de fevereiro.

A origem da data deve-se a um episódio, não seguramente verídico, mas certamente muito pitoresco. Conta-se que havia em Roma, no ano de 270 d.C., um bispo chamado Valentino. Esse clérigo tinha o hábito de celebrar casamentos secretos entre casais apaixonados, contrariando as ordens do imperador Claudius II, que preferia ter os homens disponíveis para lutar contra as freqüentes invasões bárbaras. Imbuído da idéia de que o casamento amolecia seus soldados para a guerra, o imperador Claudius II tentou impedir que Valentino realizasse os casamentos; como não conseguiu, mandou prendê-lo para, posteriormente, executá-lo.
Enquanto aguardava sua execução na prisão, Valentino apaixonou-se pela filha cega do carcereiro, que misteriosamente voltou a enxergar, atribuindo-se ao bispo Valentino o milagre, fato que abriu caminho para sua santificação. Valentino foi executado num dia de 14 de fevereiro. Em homenagem ao seu sacrifício pelo amor, instituiu-se nesta data o St. Valentine’s Day .

Existem algumas controvérsias em relação a São Valentim, que é homenageado nesse famoso dia. Arqueólogos, que descobriram uma catacumba romana e uma antiga igreja dedicada a São Valentim, não sabem ao certo se havia um único Valentim ou mais de um. Outro São Valentino que pode ter dado origem à data também viveu sob o Império Romano. Ele levava uma vida simples e era especialmente bondoso com as criancinhas. Um dia, Valentino foi jogado na prisão pelos romanos por ter se recusado a adorar os deuses deles. Dizia-se que as crianças escreviam mensagens de amor para ele e as lançavam pela janela da cela. Esses foram os primeiros cartões do “dia dos namorados”. Mas não existe nenhum registro histórico disso.
Hoje em dia, a Igreja Católica reconhece pelo menos três santos diferentes chamados Valentim ou Valentino, e todos eles foram martirizados no dia 14 de fevereiro – dois deles na Itália, no século III. O candidato mais popular a São Valentim foi o padre romano  do século III, que praticava o cristianismo e realizava casamentos secretos contra as ordens diretas do Imperador Claudius II, que acreditava que soldados solteiros estariam mais propensos a se juntarem ao exército.
Os antigos cristãos ficaram mais felizes com a idéia de haver um feriado em homenagem ao santo das causas românticas do que um em homenagem a uma celebração pagã. Em 496 d.C., o Papa Gelasius consagrou o dia 14 de fevereiro em homenagem a São Valentim como o santo patrono dos apaixonados. Em 1969, o Papa Paulo VI tirou a data do calendário. No entanto, a mistura da celebração romana e do martírio cristão já havia se tornado popular, e o Dia dos Namorados tinha chegado para ficar.

Outras tradições do Dia dos Namorados
Várias tradições interessantes no Dia dos Namorados foram sendo criadas ao longo do tempo. Por exemplo, há centenas de anos, na Inglaterra, crianças se vestiam como adultos no Dia dos Namorados e andavam de porta em porta entoando canções. No País de Gales, colheres de madeira, entalhadas em formato de chave, fechadura e coração, eram dadas de presente.

A entrega de flores no Dia dos Namorados, provavelmente vem desde o início dos anos 1700, quando Charles II da Suécia trouxe para a Europa a poesia persa chamada “a linguagem das flores”. Ao longo do século XVIII, textos sobre flores foram publicados, permitindo que fossem contados segredos sobre lírios ou violetas. Além disso, muitas conversas giravam em torno de buquês de flores. Quanto mais populares as flores se tornavam, mais tradições e significados foram sendo associados a elas.

A rosa, que representa o amor, provavelmente é a única flor que tem um significado universal. A rosa vermelha ainda é a flor mais comprada pelos homens para suas namoradas. Atualmente, tornou-se costume as pessoas comprarem a flor preferida de seus namorados ao invés de, automaticamente, escolherem as rosas. Algumas das flores favoritas para o Dia dos Namorados são as tulipas, os lírios, as margaridas e os cravos.
Entre os antigos presentes de Dia dos Namorados estão os doces, normalmente chocolates, entregues em caixas em formato de coração. Algumas fábricas de chocolates finos fizeram com que chocolates de alta qualidade, com formatos artísticos e em embrulhos elegantes, se tornassem um presente tradicional no Dia dos Namorados.

Hoje em dia, praticamente qualquer coisa pode ser um presente de Dia dos Namorados – só depende da preferência de quem vai receber. Muitos namorados dão presentes mais caros nestes dias, e vários escolhem a data para oficializar a relação amorosa, com pedidos de casamento com direito jantar romântico e anel de noivado.#

Share

Related posts