Lytron
My Partner
cultureholidays

Pedagogia das respostas de Deus

R esponder é um ato pedagógico. O é nas relações interpessoais. O é também no nosso relacionamento com Deus. Quando um pai responde não ou sim para um filho, ensina-o algo. Às vezes é duro para o filho ouvir do pai, resposta diferente da esperada; às vezes ele não está pronto, por isso revolta-se, ao receber um não, quando tinha por certo, um sim. Mas sempre, sofrendo pela resposta, lidando com a revolta, ou mesmo se negando a receber a resposta como definitiva, o filho vai aprender e, por isso, crescer. O aprendizado é retardado e, às vezes até inviabilizado, se o filho rejeita e se nega a seguir na vida, pela trilha da resposta do pai.
De fato, uma pessoa madura sabe receber o não como resposta. Reagir contrariado, resmungar e revoltar-se por causa de não, denuncia imaturidade. E gente assim, imatura, leva os que estão ao seu redor a uma atitude de nunca lhe falar o que se quer de fato, temendo a reação. Porém, nem a vida nem Deus deixam de lhe dizer o não quando for necessário. Por esta razão muitos se revoltam com a vida e com Deus. Revoltados com Deus se afastam dEle, de sua Palavra, de suja Igreja; por fim, têm a fé arrefecida e seguem cada vez mais para longe da verdadeira vida. Nem preciso enfatizar o quanto nosso inimigo tira proveito desse caos espiritualmente depressivo onde se jogam. Tudo porque preferem reagir, lutar contra, rejeitar e ignorar a resposta de Deus, ao invés de aprender com ela e crescer.
Pedagogia antiga esta, a da resposta, na relação de Deus com o homem!
O fruto de uma das árvores no Éden, o homem não poderia ter comido. Se não comesse teria aprendido que a obediência a Deus era o segredo para não sofrer e não morrer. Comeu, e até hoje parece não ter aprendido, mesmo sofrendo e contracenando o tempo todo com a morte, que não vale a pena desobedecer a Deus.
Caim recebeu um não de Deus ao oferecer-lhe sua oferta, tivesse refletido e, humilde, procurado entender a resposta divina, teria aprendido que a importância do que oferecemos a Deus não está no esforço desprendido para obtê-lo, tampouco no seu valor intrínseco, mas na atitude pura e despida de segundas intenções no coração. Não refletiu, e o ódio tomou conta de sua alma, fazendo nascer a violência na história, como a alternativa covarde à coragem para aprender.
Abraão esperou muito e, quando naturalmente já não podia ser pai, considerando portanto, pelo passar dos anos, ter recebido um não de Deus, Isaque nasceu. Com isso a resposta de Deus revelou-se positiva. O sim, no entanto, pareceu ser provisório ou reversível quando Deus pediu ao pai que lhe oferecesse o próprio filho em holocausto. Não tivesse obedecido, rendendo-se ao querer divido e Abraão não teria aprendido que amar a Deus acima de tudo traz maior prazer do que amar, acima de tudo, a bênção que Deus dá. Deus não nos dá bênçãos para que as idolatremos, mas para que o amemos. A lista não é pequena. Dos patriarcas aos profetas, dos juízes aos reis e dos evangelistas aos apóstolos, todos foram submetidos à ação pedagógica das respostas de Deus. Uns aprenderam e cresceram, outros resistiram e sofreram.
Quando Deus responde, está ensinando algo. O aprendizado que a resposta enseja é sempre muito melhor do que a resposta em si. E há respostas negativas que Deus dá aos homens, cujos ensinamentos, uma vez obedecidos, revelam-se altamente positivos.
Não devemos nos preocupar se receberemos de Deus um sim ou um não. Precisamos isto sim, nos ocupar do aprendizado para que cresçamos com Suas respostas. A música de Fernanda Brum acerta quando diz: “E nesse andar contigo eu ouço um sim, mas é verdade que às vezes ouço um não. Mas se você me diz sim ou não, eu não desisto, não abro mão, nada vai me separar de Ti.”
Como a vontade de Deus é sempre boa, agradável e perfeita, devemos nos alegrar com as Suas respostas, procurando sempre entendê-las como o melhor dEle para nós. Assim, cresceremos como pessoas e amadureceremos em nosso relacionamento com o Senhor. Saberemos, então, que Deus sempre nos abençoa, às vezes o faz com um sim e às vezes com um não.
O Senhor conhece tudo sobre cada um de nós. Ele sabe das nossas lutas, por isso nos dá força; entende das nossas dores, por isso nos dá alívio; acompanha os nossos dramas, por isso nos dá consolo; percebe as nossas dúvidas e os nossos limites, por isso nos dá sabedoria; está ciente da nossa humanidade, por isso nos dá graça.
Em qualquer circunstância, portanto, alegremo-nos no Deus da nossa salvação e encontremos alento e paz na Sua Palavra que é ‘lâmpada para os nossos pés e luz para o nosso caminho’.

>> Rev. Lécio Dornas é o Diretor do Ministério Brasileiro da American Bible Society e o Pastor da Primeira Igreja Batista Brasileira de Orlando, FL.

Share

Related posts