Obama busca maior flexibilidade de horários para servidores federais

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, solicitará nesta segunda-feira a agências federais que aumentem seus esforços para dar a trabalhadores mais margem de manobra para determinar seus horários de trabalho, numa iniciativa destinada a fazer o ambiente de trabalho nos EUA mais confortável para funcionários com família.

Obama, que busca aumentar as chances dos democratas antes das eleições parlamentares de novembro, tem pedido ao Congresso que apoie legislação para tornar os locais de trabalho mais “amigáveis” à família.

O presidente irá emitir um memorando solicitando que chefes de agências federais aumentem as políticas de flexibilidade de horários o máximo possível, disse a Casa Branca em um comunicado. A meta é tornar mais fácil para os pais e trabalhadores resolverem as necessidades de família e permitir com que mais pessoas encontrem e mantenham seus empregos.

Obama também deixará claro que trabalhadores federais possam solicitar um arranjo de trabalho flexível sem temer consequências negativas, seja o pedido concedido ou não, disse a Casa Branca.

Os anúncios são parte de medidas da Casa Branca para “família trabalhadoras”, iniciativas as quais Obama promoverá políticas como aumento do salário mínimo e expansão de acesso a cuidados de crianças.

“Diferentemente de qualquer outro país avançado na Terra, isso é algo que famílias individuais terão que lidar sozinhas, em vez de como comunidade, como nação”, disse Obama em uma entrevista à MSNBC.

Em entrevista à CNN, ele disse que o evento não se tratava apenas de promover ideias que são populares com as mulheres, que compõem uma grande parte da base democrata, antes das eleições de novembro.

“É pessoal para mim, e é pessoal para muitas pessoas”, disse ele, descrevendo como foi criado por uma mãe solteira e como ele e sua esposa, Michelle Obama, lutaram para conciliar trabalho e família quando suas filhas eram mais novas.

O presidente irá, ainda, pressionar por mais proteções para mulheres grávidas no local de trabalho ao pedido para o Congresso que aprove legislação para evitar a discriminação contra grávidas, disse a Casa Branca. O Departamento de Trabalho vai disponibilizar 25 milhões de dólares para providenciar cuidados a crianças para trabalhadores em programas de treinamento.

Related posts