Pesquisa revela que adolescentes estão mais estressados que adultos

Uma pesquisa realizada pela Harris Interactive em nome da American Psychological Association, mostra que os adolescentes estão mais estressados do que os adultos. A pesquisa foi conduzida em agosto do ano passado, onde  foram entrevistados 1.950 adultos norte-americanos e 1.018 adolescentes com idades entre 13 a 17 adolescentes e os resultados foram divulgados em fevereiro.

A pesquisa revela que os adolescentes americanos estão seguindo os mesmos passos dos pais, que vivem super estressados. Na verdade, os adolescentes de hoje relatam níveis mais elevados de estresse do que os pais, dizem os pesquisadores da Harris Interactive.

A pesquisa mostra que os adolescentes relataram nível de estresse alto durante o ano letivo, muito acima do nível considerado saudável,  5,8 contra 3,9 em uma escala de 10 pontos – e superou os níveis médios de estresse relatados dos adultos de 5,8 para adolescentes versus 5,1 para adultos. Mesmo durante o verão, quando a entrevista ocorreu e os adolescentes estavam de férias, eles relataram estresse em níveis mais elevados do que o considerado saudável pelos pesquisadores, 4,6 contra 3,9 em uma escala de 10 pontos.

Além disso, 31% dos adolescentes relataram que vivem sobrecarregados e 30%  afirmam que estão deprimidos ou tristes, tudo  resultado do estresse. Mais de um terço dos adolescentes relataram fadiga ou sensação de cansaço e quase um quarto informaram  pular uma refeição, devido ao estresse.

Apenas 16%  dos adolescentes disseram que o nível de estresse diminuiu no ano passado, e aproximadamente o dobro – 31% – disseram que o estresse aumentou no ano passado ou disseram acreditar que o  nível de estresse aumentaria  este ano.

O presidente da American Psychological Association, Normam Anderson,  disse que os resultados da pequisa é  alarmante. “ E ainda mais preocupante o fato desses adolescentes estarem sofrendo com o impacto do estresse no físico e mental”. Ele disse que numa situação como essa, o apoio dos pais, familiares e amigos é fundamental para que o adolescente possa ter uma vida mais saudável, com incentivo à prática de exercícios, alimentação correta e gerenciamento do tempo.

A pesquisa mostra também que os filhos tem a tendência de seguir o exemplo dos pais e que o resultado de adolescentes estressados está diretamente ligado a pais que tem uma vida estressada. Segundo a pesquisa da American Psychological Association, 42% dos adultos americanos afirmaram que seu nível de estresse aumentou e 36% disseram que o nível de estresse tem sido igual aos dos últimos 5 anos. Apesar da maioria dos adultos nos Estados Unidos afirmarem que é importante controlar o nível de estresse, poucos trabalham no sentido de terem uma vida menos estressante.

Estresse do dia a dia também pode ser um causador da obesidade
Segundo a psicóloga especialista em Terapia Comportamental da clínica Vivencialle, Letícia Guedes, a pessoa com sintomas de estresse costuma atirar-se em grande quantidade de comidas, e isso pode acarretar problemas como a obesidade. “Não só a comida em grande escala faz com que o individuo venha a engordar, ele pode engordar de boca fechada.
Existe uma tensão continua que faz o organismo liberar em grande quantidade, dois hormônios que são responsáveis pela obesidade: a adrenalina e a cortisona. Quanto mais tensão, maior o risco de engordar”, explica a especialista.

A mudança da rotina de trabalho, lazer regrado a prática de exercícios físicos, relaxamento e terapia podem ajudar a promover melhorias na composição corporal. “Indicamos exercícios físicos, mas alertamos que a prática irregular pode causar problemas, ao invés de auxiliar”, ressalta.

Um fator preocupante no aumento de peso é o estresse, que por muitas vezes age silenciosamente e pode causar problemas de saúde como a obesidade. Algum dos fatores que contribuíram para esse aumento de peso se dá à ausência de controle individual na ingestão alimentar, falta de autocontrole do indivíduo na hora de realizar suas refeições, escolhas por alimentos de rápido preparo (fast – food), além de uma determinação biológica para o ganho de peso, a genética.

Estudo mostra a vulnerabilidade ao estresse de líderes cristãos

Uma pesquisa realizada pela pós-graduanda Fernanda Siqueira Baptista mostra que pastores e padres também são vulneráveis ao estresse. O trabalho é um dos fatores sociais que pode gerar estresse, no caso de padres e pastores isso acontece por se tratar de um trabalho emocional. Para chegar a essa conclusão foram ouvidos 80 líderes cristãos, sendo 40 padres e 40 pastores que vivem nas cidades do Oeste Paulista, no Brasil.

O resultado foi apresentado pelo estudo que recebeu o nome de ‘Vulnerabilidade ao Stress e estratégias de enfrentamento de Líderes religiosos cristãos’ assinado por Siqueira que é aluna do Programa de Pós-Graduação em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem da Faculdade de Ciências (FC) da Unesp.

Os entrevistados responderam a um questionário sociodemográfico e a análise dos dados recolhidos foi feitas através dos testes estatísticos Mann-Whitney e correlação de Sperarman mostrando que 35% dos pastores e 37,5% dos padres obtiveram índice médio superior em pressão no trabalho.

Mesmo não sendo estatisticamente significativos, os resultados mostram que padres e pastores possuem fontes de estresse diferentes. Enquanto para os padres o ministério é mais estressante, para os pastores a fonte de estresse é a família.

“A análise correlacional indicou que as crenças influíram sobre o enfrentamento religioso espiritual, sendo que os pastores fizeram maior uso de enfrentamento negativo, enquanto os padres maior uso de enfrentamento religioso total”, conforme o resumo da pesquisa.

Com essa pesquisa foi possível mostrar a necessidade de outros estudos que avaliem esses casos e a criação de programas com foco na saúde emocional de líderes religiosos, além de programa de intervenção e prevenção que consiga auxiliá-los no enfrentamento dessas fontes de estresse.

Pesquisa mostra que parar de fumar ajuda no combate ao estresse

Os fumantes que acreditam que o hábito alivia o estresse e a depressão estão enganados, de acordo com uma nova pesquisa. Especialistas das universidades de Birmingham, de Oxford e do Kings College London descobriram que parar de fumar pode ser tão eficaz no combate à depressão e à ansiedade quanto tomar antidepressivos.
Após analisarem 26 estudos, os especialistas disseram que as pessoas que param de fumar experimentam uma queda significativa na ansiedade, depressão e estresse. “Tanto a qualidade de vida quanto o psicológico melhoraram em desistentes do vício. Notamos a melhora do humor em comparação com quem continuou a fumar”, afirmaram os estudiosos.
Os participantes dos estudos tinham 44 anos, em média, fumavam cerca de 20 cigarros por dia e foram analisados por uma média de seis meses. Os pesquisadores disseram que os profissionais de saúde relutantes em oferecer aconselhamento para parar de fumar às pessoas com problemas de saúde psicológica devem ser encorajados pelos resultados.

Conheça os 8 efeitos inimagináveis do estresse

Existem  pessoas que ficam estressadas diariamente e que não conseguem levar uma vida tranquila de jeito nenhum. O que esses indivíduos não sabem é que o estresse não é prejudicial só ao seu humor, mas em diversas funções do organismo. Descubra 8 efeitos diferentes e inimagináveis do estresse no seu corpo.

1 – Perda de memória
O estresse interfere negativamente nas nossas funções cognitivas, gerando perda de memória e de concentração, o que pode causar também uma queda na produtividade.

2 – Sistema imunológico mais vulnerável
O estresse te deixa mais vulnerável a alguns tipos de doenças e resfriados, porque diminui as suas funções imunológicas – o que pode ser especialmente prejudicial durante o inverno, já que as chances de pegar uma gripe forte ficam ainda maiores.

3 – Pessoas menos atraentes
Uma pesquisa revelou que homens e mulheres enxergam pessoas muito estressadas como sendo menos atraentes do que pessoas tranquilas.

4 – Insatisfação sexual
O estresse pode interferir na qualidade da sua vida sexual, tanto fazendo com que você perca o desejo, quanto diminuindo a satisfação que você normalmente teria numa relação.

5 – Aparência
Você pode comprar todos os cremes rejuvenescedores que quiser, mas se for uma pessoa extremamente estressada, acabará envelhecendo mais rápido do que gostaria, porque o estresse pode fazer com que as suas células envelheçam mais rápido.

6 – Hormônios
Especialmente nas mulheres, o estresse pode causar um enorme desequilíbrio hormonal: o estrogênio e a progesterona têm as suas produções diminuídas durante períodos de estresse e o cortisol aumenta. Assim, os humores e a disposição sexual são afetados.

6 – Pele
Estudos indicam que o estresse pode aumentar a acne, gerando, em casos mais graves, até mesmo psoríases, que são inflamações crônicas da pele.

7 – Distúrbios do sono
O estresse pode aumentar a sua insônia. Se ele estiver sendo causado por problemas pessoais passageiros, como um período de adaptação ou a morte de alguém querido, esse sintoma se afastará com o tempo, entretanto, se for causado por uma condição permanente, poderá causar problemas futuros.

8 – Ganho de peso
Achou que para se livrar dos quilinhos extra você só tinha que malhar e ter uma alimentação saudável? Errado: o estresse pode fazer com que você engorde, já que ele estimula a produção de cortisol que, por sua vez, pode causar a expansão de células de gordura.

Alimentos que aliviam o estresse
Combater o estresse pode ser mais fácil e prazeroso do que você imagina. A nutricionista Patrícia Davidson selecionou uma lista de alguns alimentos que ajudam a deixar você mais feliz. Descubra também como cada um deles age no corpo e mente.
Amêndoas
Nelas é possível encontrar uma grande quantidade de magnésio, elemento de bastante importância para que a glândula responsável por lidar com o estresse possa funcionar bem. A nutricionista ainda recomenda que, um dia antes de comer as amêndoas, elas sejam colocadas de molho, pois isso facilita a digestão.
Alho
Toxinas presentes no organismo podem influenciar negativamente o fluxo de hormônios e o humor. O alho trabalha no auxílio à eliminação delas.
Gengibre
Para ser consumido em forma de chá, o gengibre faz com que não somente a digestão melhore como também age para que a absorção dos nutrientes pelo organismo seja ainda mais eficiente.
Repolho
As vitaminas A, C, E, o betacaroteno e o Selênio presentes nesta verdura combatem os radicas livres fabricados pelo estresse e ajudam na produção de serotonina.
Arroz e grãos integrais
No prato de todos os dias na maioria das mesas brasileiras também reside um bom aliado no combate ao estresse. Estes elementos são responsáveis pelo auxílio na síntese de serotonina.
Pepino
Ele tonifica o fígado, gerando melhora na circulação de hormônios. Uma boa dica é, junto ao aipo, utilizar o pepino para fazer suco.
Frutas ricas em antioxidantes
A banana, a maçã, o morango, dentre outras, possuem este importante ingrediente que estimula o sistema imunológico.
Chás
Os famosos chás de camomila e maracujá são receita antiga, mas a nutricionista garante: funcionam. Assim como o alcaçuz e a valeriana, eles nutrem o sistema nervoso e glandular.
Aveia
As fibras solúveis, encontradas em grande quantidade na aveia, melhoram a concentração, controlam o aumento do açúcar no sangue e até dores de cabeça.
Semente de gergelim
Em momentos de tensão, o organismo pede por mais zinco, encontrado, em boa quantidade, nestas sementes.
Semente de girassol
Por causa do estresse, vários nutrientes são perdidos. Este tipo de semente auxilia na reposição deles, pois é rica em zinco, potássio e vitaminas do complexo B.

17 maneiras eficientes de superar o estresse      

Não deixe que o estresse prejudique seus estudos, seu emprego e sua vida pessoal. Confira 17 maneiras eficientes de superar esse problema. Passar por estresse constante é uma situação problemática porque a irritação pode danificar diversos aspectos de nossa vida, inclusive a saúde. Se você sente que tem passado por muitos períodos desagradáveis e precisa manter a calma para solucionar essa questão, existem algumas dicas que vão ajudar.

1. Aproveite pequenas vitórias
Faça de cada conquista em sua vida algo grandioso. Pense em como você lutou para conseguir tal objetivo e valorize sua vitória.

2. Saia com amigos que não sejam do trabalho
Se você não costuma sair com muitos amigos além dos colegas de trabalho, procure mudar esse fato. Isso porque mesmo que você goste das pessoas com quem trabalha, é importante ter um período para evitar contato com tudo que for relacionado ao emprego.

3. Crie uma boa trilha sonora
Faça uma trilha sonora motivadora ou relaxante para você e escute no caminho até o trabalho ou até mesmo durante seu expediente, caso seja permitido e você se sinta confortável dessa maneira.

4. Tenha um hobby ativo
Se você trabalha utilizando principalmente suas atividades intelectuais, procure por um hobby no qual suas tarefas sejam mais ativas, como exercícios físicos.

5. Aumente sua perspectiva
Lembre-se de que o que está causando estresse para você agora, provavelmente será facilmente esquecido nos próximos 10 anos.

6. Esqueça o passado
Esqueça de erros que você cometeu no passado que podem ser a causa principal de seu estresse. Pensar repetidamente sobre isso não solucionará a situação.

7. Caminhe
Sempre que possível, faça caminhadas ao ar livre, próximo à natureza.

8. Faça meditações
Meditar ajuda você a manter sua mente vazia por alguns momentos, trazendo de volta a calma a você e fazendo com que suas ideias sejam mais claras.

9. Assista ou leia algo engraçado
Procure por algo que faça você rir para aliviar o estresse acumulado.

10. Junte pequenas tarefas
Tente juntar as menores tarefas designadas a você em seu emprego e o que você precisa resolver em sua vida pessoal em atividades maiores que possam ser resolvidas mais fácil e rapidamente.

11. Diminua tarefas trabalhosas
Quando você tiver tarefas demasiadamente difíceis, procure diminuí-las em etapas para ter uma visão mais clara do que precisa fazer e evitar o estresse.

12. Tenha tempo para se concentrar em uma tarefa
Administre seu tempo para que seja possível ter foco exclusivo em apenas uma tarefa e então realizá-la da melhor maneira possível.
 
13. Limite a quantidade de informações
Absorver uma quantidade muito grande de informações pode cansar sua mente e, por conseqüência, deixá-lo estressado. Por isso, limite o tempo que você gasta para informar-se.

14. Evite discutir online
Se você costuma discutir sobre assuntos diversos em redes sociais, comentários em blogs ou até mesmo em sites de notícias, evite essa atitude. Você não mudará a opinião de outras pessoas com seus argumentos e ficará irritado à toa.

15. Deixe finais de semana livres
Procure realizar todas as suas tarefas importantes de segunda à sexta para que seus finais de semana estejam livres para descanso e lazer.

16. Treine sua respiração
Treine sua respiração para que você possa respirar fundo com frequência e relaxar seu corpo, já que inspirar e expirar o ar de maneira curta e rápida causa tensão.

17. Encontre um emprego mais adequado
Se nenhuma das sugestões funcionar para você, provavelmente você não está no emprego correto. Caso você odeie seu emprego, procure por um novo. Não existem motivos para manter algo desagradável e que o deixa insatisfeito.

Related posts