Lytron
My Partner
cultureholidays

Líderes mundiais e milhares de sul-africanos se reúnem em honra a Mandela

Imagens de Nelson Mandela com o passar dos anos são projetadas em telão durante cerimônia em sua honra em Soccer City, Johanesburgo

Dilma, Raúl Castro e Obama discursam na cerimônia. Hoje faz 20 anos que ícone antiapartheid ganhou Nobel da Paz

Unidos em um tributo a um símbolo global de reconciliação, milhares de sul-africanos e dezenas de chefes de Estado e outras autoridades se reuniram sob a chuva nesta terça-feira para honrar Nelson Mandela em um grande evento em memória do primeiro presidente negro da África do Sul em Johanesburgo. Mandela morreu no dia 5 de dezembro aos 95 anos.

Prevista para as 7 horas locais (11 horas em Brasília), a cerimônia começou com uma hora de atraso com a execução do hino nacional, ao que se seguiram vários pronunciamentos. O principal discurso será pronunciado pelo presidente aul-africano, Jacob Zuma, que foi vaiado pela multidão várias vezes. Multidões convergiram para o Estádio FNB (Soccer City) em Soweto, subúrbio que foi um reduto de apoio à luta contra o apartheid que Mandela incorporou enquanto era um prisioneiro do regime de dominação branca durante 27 anos e então durante um frágil transição para eleições multirraciais que o tornaram presidente em 1994. A chuva, entretanto, afastou muitos da cerimônia. Pouco antes de seu início, o estádio com capacidade para 95 mil espectadores estava 50% cheio.

A presidente Dilma Rousseff participará do evento acompanhada pelos ex-presidentes brasileiros José Sarney (1985-1990), Fernando Collor de Mello (1990-1992), Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) e Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010).

Dilma será uma das oradoras da cerimônia, assim como o presidente dos EUA, Barack Obama; o vice-presidente da China, Li Yuanchao; e do presidente de Cuba, Raúl Castro. Homenagens também serão feitas pelos presidentes da Namíbia, Índia. A primeira autoridade estrangeira a discursar foi o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

A viúva de Mandela, Graça Machel, estava no estádio, assim como a atriz Charlize Theron, a modelo Naomi Campbell e o cantor Bono. O ex-presidente sul-africano Thabo Mbeki, que sucedeu a Mandela, recebeu uma ovação ao se levantar. O presidente francês, François Hollande, e seu antecessor e rival político, Nicolas Sarkozy, chegaram juntos.

Esta terça-feira marca o 20º aniversário do dia em que Mandela e o último presidente branco da África do Sul, F.W. de Klerk, receberam o Prêmio Nobel da Paz por seus esforços para trazer paz ao país. A data também coincide com o Dia dos Direitos Humanos da ONU.

Na época, Mandela disse em seu discurso de aceitação: "Vivemos com a esperança de que, enquanto ela se debate para se refazer, a África do Sul será como um microcosmo do novo mundo que deseja nascer."

Share

Related posts