Brasil: Garotinho lidera corrida ao governo do Rio com 21%, segundo Datafolha

Sérgio Cabral tem a pior avaliação em sete anos.
Pesquisa foi realizada nos dias 28 e 29 de novembro, em 28 cidades.

Pesquisa realizada pelo Datafolha nos dias 28 e 29 de novembro mostra que o candidato Anthony Garotinho (PR), lidera com 21% das intenções de votos a disputa com outros pré-candidatos pelo governo do estado do Rio de Janeiro. O candidato que tem o apoio do atual governador Sérgio Cabral, o vice-governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) ficaria com apenas 5% das intenções de volto. Cabral, segundo a pesquisa, tem a pior avaliação em sete anos de governo.

A pesquisa foi realizada com 1.145 entrevistados em 28 municípios. Aos eleitores, foram apresentados dois cenários. Um com o pré-candidato Marcelo Crivella (PRB), atual ministro da Pesca, e com o técnico de vôlei Bernardinho (PSDB). E outro cenário com apenas os principais pré-candidatos. A margem de erro é de três pontos percentuais.

Nos dois cenários Garotinho sai na frente. No primeiro, com oito adversários, ele tem 21% das intenções de voto, enquanto no segundo, com seis adversários, a vantagem sobre para 24%.  Ele foi governador do Rio entre 1999 e 2002. O segundo candidato no primeiro cenário é o senador Lindbergh Farias (PT), com 15%, que surge empatado com o ministro da Pesca Marcelo Crivella (PRB). Percentual do petista sobe para 19%, no segundo cenário.

Sem Crivella, o adversário mais próximo de Lindbergh seria vereador Cesar Maia (DEM), com 11% das intenções de voto. No segundo cenário, Maia somaria 12%. Nos dois cenários, Pezão atrás do vereador, com 5% e 7%, respectivamente.  Miro Teixeira (Pros) aparece com 3% e 5%, na disputa.
O técnico de vôlei Bernardinho (PSDB) teria 2% das intenções de voto no primeiro cenário, assim como o ex-deputado Milton Temer (PSOL).  Sem o Bernardinho, Temer cresceria um ponto percentual na disputa.

O número de eleitores que votariam em branco, nulo ou em nenhum desses pré-candidatos no primeiro cenário é de 18% e 8% não sabem. No segundo cenário, o percentual de votos nulos, brancos ou em nenhum dos principais pré-candidatos sobe para 23% e o número dos que não sabem também sobe para 9%.

Cabral tem sua pior avaliação
Ainda de acordo com o Datafolha, a popularidade do atual governador do Rio continua caindo. E chegou ao pior desempenho em sete anos de governo: 77% consideram sua gestão regular ou ruim/péssimo, contra 20% de ótimo/bom.

Em julho de 2010. Cabral tinha a aprovação de 41% dos entrevistados, índice que passou para 55% em novembro daquele ano, e despencou para 25% em junho deste ano, quando começaram as manifestações no Rio.  Em julho de 2010, 42% consideravam o governo regular, percentual que baixou para 31%, em novembro de 2010, chegou a 38% em junho de 2013 e agora, está em 39%.

O percentual de eleitores que consideram o governo de Cabral ruim ou péssimo, desde julho de 2010 baixou de 15% para 12% em novembro daquele ano e depois subiu em junho de 2013 para 36% e agora está em 38%.

Já o prefeito do Rio Eduardo Paes (PMDB), apoiado do governador manteve os mesmos índices de  junho de 2013, sendo aprovado por 30% dos eleitores e preprovado por 33%, também seu pior resultado em cinco anos no cargo.

Share

Related posts