Itália: O romantismo de Veneza

Veneza é uma dos lugares mais românticos do mundo e os meses de agosto e setembro são perfeitos para uma visita à cidade das gondolas. Veneza (Venezia, em italiano), com 338 mil habitantes, é conhecida por suas gondolas e ruelas apertadas, que mais parecem um labirinto. São 117 ilhotas e mais uma centena de pontes, e esqueça as multidões e deixe se perder entre suas ruelas, becos e canais. Difícil não parar numa das pequenas pontes-escadarias ou simplesmente ficar horas de bobeira na bela Piazza San Marco. Seguem as dicas de lugares que você deve conhecer ao visitar Veneza.

Piazza San Marco

Disputada pau a pau por pombas e turistas, especialmente no verão, seu amplo espaço contrasta com as estreitas ruas de Veneza. Grande praça iluminada, cercada por museus e prédios históricos, destacando a imponente Basilica di San Marco, que tem entrada gratuita. De estilo bizantino, a construção da basílica teve início no século 9, para guardar o corpo de San Marco, que foi roubado e trazido por dois venezianos do Egito. Em seu interior repleto de mosaicos está o museu Tesoro della Basilica. Na praça, também há a Torre dell’Orologio, do século 15, com uma vista de Veneza.

Palazzo Ducale

Reconstruído no século 14 após um incêndio, o Palazzo Ducale possui elegantes arcadas góticas. Foi a residência oficial de duques, sede de governo e prisão. A entrada do palácio é pela Scala D´Oro. Veja a Sala delle Mar, toda decorada por mapas, a Sala del Maggior Consiglio com quadros de Tintoretto e Veronese e a Sala San Cristoforo, com afrescos de Tiziano. O artista trabalhou no palácio por muito tempo, mas todas suas obras foram destruídas restando apenas a “Lunetta com Madonna e Bambino”, no topo da escada do lado de dentro. A Ponte dei Sospiri (Ponte dos Suspiros) conecta o palácio à antiga prisão, caminho dos prisioneiros para a masmorra, entre eles Casanova.

Galleria dell’Accademia di Venezia

Do lado da ponte Accademia, a Galleria dell’Accademia di Venezia contém uma importante coleção de arte veneziana, incluindo trabalhos de Tintoretto, Titian, Veronese e esculturas de Antonio Canova. Em todas as salas há folhetos explicativos de cada obra, em italiano e em inglês.

Fondazione Peggy Guggenheim
(Palazzo Venier dei Leoni)

Apresenta uma coleção particular de arte moderna e jardim onde seu corpo está sepultado, juntamente com seus animais de estimação. A americana Peggy Guggenheim morreu em 1979, sendo considerada uma das maiores colecionadoras de obras de arte moderna do século, entre o Cubismo, Surrealismo e Expressionismo abstrato americano. Ela comprou este palácio de frente para o Canale Grande, e ali viveu por 30 anos. Obras de Jackson Pollock, Dalí, Miró, Picasso, Chagall, e outros. No local, há também restaurante, espaço para exposições temporárias e uma boa vista do canal.

Igrejas

A maioria das igrejas de Veneza cobra para ver os afrescos e obras mais importantes. A Chiesa Santa Maria della Salute está localizada na porta do Canale Grande. Em sua sacristia estão afrescos de Tiziano “La discesa dello Spirito Santo”, Luca Giordano e Tintoretto. A igreja Santa Maria Gloriosa dei Frari, com pinturas de Tiziano e Tintoretto e é uma das maiores da cidade. Localizada na ilha de Giudecca, a Chiesa del Redentore é onde celebra-se a tradicional Festa del Redentore.

Arredores

Pegando o Vaporetto 12, pode-se visitar as Ilhas de Burano, vila de pescadores; Murano, famosa por seus cristais desde 1292, e Torcello, conhecida por seus mosaicos e sua catedral bizantina. As ilhas são pequenas, mas é a quem não está com pressa e quer ir além de Veneza. O Lido é uma praia para quem quer tomar um banho de mar. Separa Veneza do Mar Adriático e costuma encher durante o verão.

Related posts