Flórida celebra 500 anos de sua fundação

LAINE FURTADO | laine@linhaaberta.com

O estado da Flórida está celebrando 500 anos com uma programação que vai marcar história. Serão mais de 200 eventos culturais para comemorar o quinto centenário da chegada à Flórida do explorador espanhol Juan Ponce de León e celebrar assim a diversidade cultural do estado, que em abril comemora 500 anos. E para resgatar a história do estado, o governador Rick Scott e o Departamento de Estado lançaram o projeto Viva Flórida 500, que estará celebrando a data com mais de 200 atividades nos 67 condados do Estado.

Para nos situarmos na história, em 1492, o explorador Cristóvão Colombo sob contrato com a coroa espanhola chegou a várias ilhas do Caribe, fazendo o primeiro contato com os povos indígenas. Em abril de 1513, o conquistador espanhol Juan Ponce de León desembarcou em o que ele chamou de “La Florida” — a primeira visita europeia documentada no que viria a ser os Estados Unidos Continentais.

No dia 6 de setembro de 1620, o navio Mayflower, depois de três tentativas frustadas, saiu de Plymouth, transportando os chamados peregrinos e, finalmente, a 11 de novembro de 1620, o chegou ao Cabo Cod, no atual estado de Massachusetts. O navio transportava 102 passageiros, em sua maioria puritanos separatistas, que buscavam liberdade religiosa, longe do poder hegemônico da Igreja Anglicana. Os peregrinos do Mayflower foram os primeiros colonos a se estabelecer iniciando o futuro Estados Unidos.

Muitas pessoas não sabem que La Florida já tinha sido descoberta por Juan Ponce de León em abril de 1513. E hoje, 500 anos depois, o estado celebra em grande estilo, a chegada do espanhol em terras floridianas. Trata-se de uma “celebração que não apenas lembra a chegada de Ponce de León ao território, mas reafirma o valor de todos os que contribuíram com a história da Flórida”, disse Chris Cate, diretor de comunicação da iniciativa estatal “Viva Flórida 500”. A Flórida se uniu para celebrar o fato histórico, que aconteceu no início de abril de 1513 – não se sabe o dia ao certo – e significou o começo da colonização e exploração espanhola no norte do continente americano e o início da história moderna dos Estados Unidos.

Todo um trabalho foi colocado em prática para marcar os 500 anos da chegada de Juan Ponce de León ao estado, entre eles, o programa Viva Flórida 500, uma iniciativa em todo o estado liderado pelo Departamento de Estado da Flórida, sob a liderança do governador Rick Scott, para reconhecer os 500 anos de história, com destaques em pessoas, lugares e eventos na atual Flórida desde a chegada de Juan Ponce de León à terra deu o nome de La Florida, em 1513.

O Departamento de Estado da Flórida está trabalhando em parceria com várias entidades como Florida Humanitarian Counsel, o site VISIT FLORIDA.com, as cidades de Saint Augustine e Pensacola, consideradas marcos históricos do estado, os consulados britânico, espanhol e francês, bem como a tribo Seminole da Flórida.

De fato, “Viva Flórida 500” conta com o apoio de mais de 14 mil organizações associadas ao projeto e envolvidas nos atos comemorativos que terão lugar em cada um dos 67 condados da Flórida, tanto em pequenas vilas como em metrópoles. “Foi a diversidade cultural que marcou as pessoas desse estado desde então, sua influência, o que estamos lembrando e celebrando”, acrescentou Chris Cate ao mencionar alguns dos objetivos do movimento, ligado ao Departamento de Estado da Flórida.

Com respaldo dos meios acadêmico, público e empresarial, pretende-se “promover os 500 anos da história da Flórida, de sua gente, os lugares e as conquistas culturais” que fizeram da península um “marco” no suceder da nação americana. “Esta é sobretudo uma oportunidade para falar da longa história da Flórida, de sua herança cultural tão diversificada, aumentar o turismo e atrair negócios ao estado”, disse  Rachel Porter, coordenadora de programas do Departamento de Estado da Flórida.

É importante destacar que o projeto Viva Flórida 500 marca o aniversário de 500 anos da chegada de Ponce de Leon em 1513, sendo esta data a peça central de uma série de aniversários importantes, que incluem fatos e datas bastante interessantes como o aniversário de 450 anos da primeira tentativa de colonização espanhola da Flórida  em Pensacola, que aconteceu em 2009, e o aniversário de 450 anos da primeira colônia francesa nos EUA continental, em Jacksonville, celebrado em 2012.  E em 2015 será  o aniversário de 450 anos da fundação de Saint Augustine como a mais antiga cidade que teve ocupação europeia. Consulte o Calendário de Eventos no site VivaFlorida.org para saber dos eventos em sua cidade.

Líderes da comunidade falam sobre a Flórida

Lamar Fisher, prefeito de Pompano Beach, disse que teve a sorte de ser a quarta geração de sua família que nasceu na Flórida. Na sua opinião, a Flórida é o melhor estado da União. “O nosso clima fala por si só, vivemos no paraíso. Viver no sul da Flórida e servir como prefeito de Pompano Beach, é um privilégio. “Somos abençoados com uma diversidade muito grande de pessoas de todos os lugares. A Flórida é um ‘melting pot’ que agrega valores à nossa cultura e oferece muitas oportunidades para residentes e turistas que visitam o estado. Particularmente na cidade de Pompano Beach somos abençoados com a comunidade brasileira, uma das maiores do estado, e meu objetivo nos últimos dois anos tem sido estar conectado com os brasileiros”, afirmou Lamar Fisher. O prefeito disse que está fazendo parcerias com entidades brasileiras para ter uma linha direta de comunicação da prefeitura com a comunidade brasileira, num maior envolvimento com programas governamentais e eventos brasileiros.

O embaixador Hélio Vitor Ramos Filho, Cônsul Geral do Brasil em Miami, afirma que para os brasileiros que vivem na Flórida, este é certamente um pedacinho do Brasil. A Flórida não é somente a casa de cerca de 300 mil brasileiros, mas por anos, o estado tem sido o maior parceiro internacional do Brasil. “E nenhuma outra nacionalidade aprecia mais a Flórida do que os mais de 1.5 milhões de brasileiros que visitam o estado anualmente, contribuindo com mais de US$ 2 bilhões de dólares para a econômia”, assegurou. O embaixador destaca que os brasileiros não estiveram presentes quando da chegada de Ponce de Léon ao estado, mas hoje “celebramos esses 500 anos e tenho certeza de que os brasileiros estão felizes e orgulhosos de serem, cada dia mais, parte integrante da Flórida”.

Para Andrea Faria, presidente do BBG, Brazilian Business Group, a Florida é sinônimo de diversidade étnica e cultural, alegria e descontração e muito acolhimento. Seja para passear, fazer negócios ou viver, a Flórida é local ideal, calorosa, não somente nas altas temperaturas, mas na comunhão de sonhos, oportunidades e na busca do tão almejado “sonho americano”. “Como nós, brasileiros, que escolhemos a Flórida como local para construirmos uma vida melhor, lembramos neste momento, dos pioneiros que chegaram, há séculos, movidos pelo mesmo espírito, da busca de novas fronteiras, novos horizontes, novos negócios, sempre guiados pelo espírito empreendedor que também nos guia até aqui. Parabéns a Flórida e a todos que contribuíram nestes 500 anos de sua trajetória”.

Anete Arslanian, presidente e cofundadora da AOTP, American Organization of Teachers of Portuguese disse que se pudesse  definir a Flórida em apenas uma frase, “a minha escolha seria DIVERSIDADE CULTURAL”. Ela explica que, além de ser um estado maravilhoso para se viver devido as belas praias e ao clima subtropical, a Flórida também é um “playground multicultural” esbanjando riqueza das contribuições culturais e culinárias dos povos que aqui residem. “Para os turistas brasileiros ou residentes da Flórida, este estado é um paraíso. Seja através das compras, do clima, ou inúmeros restaurantes brasileiros que aqui se encontram, os brasileiros se sentem em casa”. Anete disse que “acabamos adotando a Flórida como nossa CASA fazendo deste estado um pouquinho do Brasil com os diversos eventos culturais brasileiros que aqui trazemos. Portanto, nada mais correto do que celebrar e parabenizar a Flórida, um estado que acolhe os brasileiros tão calorosamente, pelos seus 500 anos”.

Para o empresário Carlo Barbieri, presidente do Brazil Club, a Flórida é a parte da América Latina que deu mais certo. O melhor Estado Americano para investir e fazer negócios nos EUA. Estado de impostos baixos e burocracia menos agressiva. Um local onde as pessoas gostam de morar, por sua beleza, clima e segurança. Seus residentes são de uma alegria contagiante e cativante. A diversidade cultural e étnica é fantástica. Há restaurantes fantásticos e a culinária e exuberante. O comércio oferece produtos a preço justo e baixo. As escolas e universidades são boas, os hospitais de alta qualidade e de tecnologia avançada. A indústria não é poluente e os estímulos para estabelecer os negócios aqui são eficientes e motivadores. “A afluência de turistas e investidores de todas as partes do mundo deram estabilidade nas crises e uma retomada mais rápida no crescimento. Há shows, teatros e cultura saindo pelos poros. E… há muitos e bons brasileiros morando na Flórida, sendo o Brasil seu primeiro parceiro comercial”, afirmou Carlo Barbieri.

Para o pastor Silair Almeida, diretor comunitário da Rede de Brasileiros (FL), a Flórida é tudo de bom! Não existe melhor lugar no mundo para se viver e criar sua família do que no Estado da Flórida. “Aqui temos a melhor diversão do mundo, o melhor clima do mundo.Viver na Flórida é como viver em um paraíso todo tempo, o tempo todo. Um dos propósitos de todo ser humano é conhecer o mundo. Vivendo na Flórida, você tem a oportunidade de conviver com pessoas de 187 nações diferentes. Na Flórida é assim: o mundo vem até você. Para nós, brasileiros, a relação comercial Brasil-Flórida é muito grande. Gostamos de dizer que a Flórida é o Brasil que deu certo. Viva a Flórida nos seus 500 anos!”, celebrou.

Marco Dombrokski, presidente do Rotary Club West Boca, disse que a Flórida é um estado acolhedor e de uma beleza fenomenal, umm paraíso “tido com um estado para se passar férias e nós que estamos aqui para residir devemos incentivar para que tenhamos cada vez mais investimentos em vários setores econômicos”. Ele explica que a diversificação da nossa econômia traz mais estabilidade ao estado e que este é um dos segredos para que o estado não seja tão afetado com situações inesperadas como os atentados de setembro 2001, que provocaram a queda do turismo na época. Ele disse que hoje estamos com um turismo forte e o estado começa a ter mostras de crescimento econômico. “Esperamos que apareçam mais sonhadores como Henry Flagler e Walt Disney para que a Flórida seja sempre um lugar maravilhoso de se viver”, afirmou o empresário.

 A pastora Rita Fernandes, presidente da Associação dos Ministros Evangélicos (AME), disse que gosta da beleza e da tranquilidade do Estado da Flórida. “Seu clima maravilhoso é bom para  viver e desfrutar a vida. Não é por acaso que turistas do mundo inteiro vem para cá e muitos aposentados se mudam para a Flórida”. Ela falou que este é um lugar estratégico para a expansão do Evangelho porque convivemos com as nações. “Me pergunto por que Deus tem trazido muitos homens e mulheres com ministérios abençoados e de peso no mundo espiritual para estabelecer raízes aqui? Penso que é por causa de um plano futuro dEle, para usar esse estado na vida do país e entre as nações. Como por exemplo, o famoso evangelista Reinhard Bronnke e muitos outros que oram e abençoam a Flórida. “Por último, a Flórida conta com algumas leis diferenciadas dos outros estados, que ao meu ver, são boas e benéficas para a sociedade. Parabéns ao estado da Flórida e que Deus abençoe-te!”.

Carlos Borges, criador do Focus Brazil, Press Award e Talento Brasil, vive na Flórida “há quase um quarto de século”. “É muito tempo! E todos os dias me deparo com um aspecto novo, diferente, interessante desse estado que conheço bem e aprendi a chamar de “home”. Não é por acaso que a Flórida é objeto de desejo mundial e o “paraíso” de norte-americanos, canadenses e milhares de europeus, sem falar das pessoas de todas as partes do mundo que vem para cá viver, passear, fazer compras e viver a vida”, assegura. Carlos Borges descreve a Flórida  como a uma celebração de vida, “com seu ar despoluído, seu verão de quase 12 meses, a beleza e limpeza de suas cidades, e o jeito descontraído dos “floridianos”. Aliás, o “floridiano” é um estado de espírito que contagia todos que vivem ou passam por aqui. Adoro a Flórida por muitas razões mais: tem muito a ver com coisas que a gente deixou no Brasil, é o lugar onde nasceu uma de minhas filhas e é onde eu plantei minhas raízes com muita fé e alegria”.

Zigomar Vuelma, presidente da ABI Inter, Associação Brasileira de Imprensa Internacional, apresenta sua opinião sobre o estado do ponto de vista de quem vive na Flórida por vários anos e aprendeu a gostar deste estado e considerá-lo como sua casa. Vuelma lembra que a Flórida foi descoberta por um espanhol que procurava a Fonte da Juventude, e que por isso, a Flórida passou a ser o estado onde as pessoas se sentem jovens. “Mesmo sendo o marco zero da América, nos parece que 500 anos passaram num piscar de olhos, convivendo entre a natureza e a modernidade. Mesmo com a dúvida de onde foram colocados os pés primeiramente, se Saint Augustine, Ponce de Leon Inlet ou Melbourne Beach, sabemos que foi na Flórida o início da América do Norte. No final, foi “a diversidade cultural que marcou as pessoas desse estado desde então. Um estado completo, com uma herança cultural tão diversificada, turismo forte e ponto estratégico para negócios com a América Latina. Não poderia ser melhor”. 

Dr. Anthony Portigliati, presidente da FCU, Florida Christian University, também lembra a história do descobrimento, apresentando um dado super interessante. “Dizem os historiadores que o espanhol Juan Ponce de León partiu da ilha de San Juan Bautista, atual Porto Rico, em março de 1513, depois de ter perdido seus direitos sobre as terras que lhe haviam sido dadas. Ponce avistou a costa da Florida um mês depois de sua partida de Porto Rico, em um domingo de Páscoa, tendo desembarcado próximo ao que é hoje a cidade de Saint Augustine, na costa leste do Estado”. Portigliatti conta que Ponce de León teria navegado até a Flórida em busca de uma fonte que restabeleceria a juventude de todos que nela se banhassem. E batizou sua descoberta com o nome de “Pascua Florida”, usando um termo comum nos festejos da Páscoa na Espanha.

Portigliatti conta que Ponce de León não foi o único na história da humanidade a sonhar com a vida eterna. Qualquer um de nós, mesmo ao descobrir mais uma nova ruga no rosto, ou qualquer sinal de que “já não somos crianças”, ainda guarda uma grande esperança e um propósito quase irresistível de seguir em frente. Diz a Bíblia que Deus “pôs a eternidade no coração do homem” (Eclesiastes 2:11). O estado da Flórida nasceu com um homem que buscava a eterna juventude. E também, curiosamente, nasceu no domingo em que se comemora a ressurreição de Jesus Cristo, aquele que, ao vencer a morte, abre a porta da vida eterna para todo o que nele crê, e o tem como seu Redentor e Senhor.

Dados Históricos

Em 2 de abril de 1513, Juan Ponce de León desembarcou na costa leste da Flórida e se tornou o primeiro europeu a pisar no continente dos Estados Unidos da América, antecedendo a colonização europeia em Jamestown, VA e Plymouth Rock, MA por 94 anos e 107 anos, respectivamente. Flórida tem a mais longa história registrada de qualquer estado do país.

A chegada de Ponce de León no litoral da Flórida ocorreu no domingo da Páscoa de Ressurreição, também chamada Páscoa de Flores ou Páscoa Florida, por ser o começo da primavera, o que explica a origem do nome que o espanhol escolheu para o território do que tomou posse em nome da coroa de Castela.

A Flórida ou Florida é um dos 50 estados dos Estados Unidos, localizado na Região Sudeste do país. O estado é o mais meridional dos 48 estados da parte continental do país. A taxa de crescimento populacional da Flórida é a quinta maior entre os estados americanos. O nome da península foi dado pelo conquistador espanhol Juan Ponce de León (1460-1521), que explorou a região em abril de 1513.

Segundo a corrente mais difundida, o nome “Florida” (em castelhano, e também em português, cheio de flores) deve-se à riqueza da flora encontrada pelos exploradores. Todavia, é mais aceita entre os especialistas a hipótese que sustenta que o nome seria uma referência à Pascua Florida, outro nome pelo qual é conhecida a celebração cristã do Domingo de Ramos, que ocorria no mesmo período da chegada da expedição de Ponce de León.

A Flórida foi inicialmente explorada e colonizada pelos espanhóis, que a controlaram até 1819, quando foi comprada e anexada pelos Estados Unidos. A Flórida tornou-se o 27º estado americano em 3 de março de 1845. O estado separou-se dos Estados Unidos em 1861, juntando-se aos Estados Confederados da América. Após a derrota dos confederados na Guerra Civil Americana, em 1865, a Flórida foi readmitida como estado em 1868. Desde então, a população da Flórida começou a crescer consideravelmente, crescimento que continua até os dias atuais.

A principal fonte de renda da Flórida é o turismo. O estado é conhecido mundialmente por suas diversas atrações turísticas, que atraem anualmente mais de 60 milhões de turistas, vindos de outros Estados americanos e de outros países. Estas atrações incluem inúmeras praias, que aliados ao clima relativamente ameno o ano.

inteiro, atraem milhões de turistas americanos e canadenses no inverno, o Walt Disney World e o Cabo Canaveral. O estilo arquitetônico espanhol foi recuperado na Flórida por Henry Flagler em seus luxuosos hotéis construídos em 1880 para os primeiros turistas que vinham à Flórida nos ferrovias da costa leste de sua propriedade. O Flager Museum, localizado em West Palm Beach, aberto ao público, mostra um pouco dessa história.

Share

Related posts