Lytron
My Partner
cultureholidays

Brasil: Economia do governo em setembro é a menor para o mês em três anos

O setor público consolidado (Governo Central, governos regionais e empresas estatais, com exceção da Petrobrás e Eletrobrás) registrou R$ 1,591 bilhão de superávit primário – economia do governo para pagar os juros da dívida pública – em setembro. É o pior resultado para o mês desde 2009, segundo o Banco Central.

Neste cenário, o chefe do departamento econômico do BC, Túlio Maciel, já admite que o cenário fiscal de 2012 é menos favorável do que os anos anteriores e reconhece que o governo poderá usar o abatimento dos investimentos, como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), para atingir a meta cheia de superávit primário deste ano.

"É possível alcançar a meta deste ano, e o BC trabalha com o cumprimento da meta considerando a possibilidade do abatimento dos investimentos", avaliou Maciel. Até setembro, a economia do setor público consolidado chegou a R$ 75,816 bilhões, enquanto a meta do ano é de R$ 139,8 bilhões. Já no acumulado nos últimos 12 meses até setembro o superávit primário diminuiu para R$ 99,889 bilhões, o que representa 2,30% do PIB.

Para Maciel, o fraco resultado fiscal deste ano reflete a "moderação significativa da atividade econômica" desde a segunda metade do ano passado até a primeira metade deste ano.

"As receitas do setor público também foram afetadas pelas medidas de estímulo à atividade tomadas nos últimos meses, como desoneração da folha do pagamento e de outros tributos. E finalmente temos que destacar o crescimento de 23% nos investimentos em relação ao mesmo período do ano passado", concluiu.

Juros

O setor público consolidado gastou com juros reais R$ 13,844 bilhões em setembro. Houve uma queda em relação ao gasto de R$ 19,118 bilhões registrado em agosto deste ano e em relação aos R$ 17,267 bilhões registrados em setembro do ano passado.

O Governo Central teve no mês passado um gasto com juros de R$ 4,805 bilhões. Já os governos regionais registraram uma despesa de R$ 8,827 bilhões e as empresas estatais tiveram gastos de R$ 212 milhões.

No acumulado do ano, o gasto com juros do setor público consolidado soma R$ 161,424 bilhões, equivalentes a 4,96% do PIB. Nos últimos 12 meses encerrados em setembro, a despesa chega a R$ 220,623 bilhões, ou 5,08% do PIB.

Segundo a autoridade monetária, o gasto com juros no ano está abaixo do verificado no mesmo período de 2011. Essa queda foi influenciada pela trajetória de queda da taxa Selic e pela menor variação do IPCA em 2012.

Déficit nominal

O setor público consolidado registrou um déficit nominal de R$ 12,254 bilhões em setembro. O déficit foi menor do que os R$ 16,121 bilhões verificados em agosto, mas maior do que os R$ 9,171 bilhões vistos em setembro do ano passado.

Dívida líquida

A dívida líquida do setor público ficou estável em 35,3% do Produto Interno Bruto (PIB) em setembro, repetindo o resultado de agosto A dívida do governo central, governos regionais e empresas estatais terminou o mês passado em R$ 1,534 trilhão.

Na comparação com dezembro do ano passado, a dívida líquida apresenta uma redução de 1,1 ponto porcentual do PIB. De acordo com o BC, o superávit primário no período contribuiu para essa redução com 1,7 pp do PIB, enquanto a expansão do PIB corrente ajudou a diminuir o endividamento também em 1,7 pp.

Share

Related posts