Lytron
My Partner
cultureholidays

Diretor proibirá cultos na seleção brasileira

Andrés Sanchez diz que jogador ‘se quiser, vai rezar no quarto’

O diretor de seleções da CBF, Andres Sanchez, disse, nesta segunda-feira, em entrevista coletiva, que proibirá cultos religiosos nas concentrações da seleção brasileira. Nas últimas Copas do Mundo, os jogadores se reuniam para rezar.

— Culto, não vai ter. Se quiser, vai rezar no seu quarto — afirmou Sanchez, que acredita que a concentração é necessária no Brasil, mesmo com problemas que mudam de tempos em tempos. — É necessária. Antigamente, (o problema) eram as mulheres. Depois, veio o baralho, e depois a religião. Hoje, tem a internet.

Ele afirmou também que a responsabilidade das convocações é exclusiva do técnico Mano Menezes, garantindo que não dará “pitacos”. Mas admitiu que poderá vetar nomes em caso de indisciplina. A próxima convocação, para a partida contra a Bósnia Herzegovina, no dia 28, em Zurique, na Suíça, será no dia 14, em hotel, no Rio.

– Quem convoca os jogadores é o técnico. É 100% responsabilidade dele. E só posso proibir em caso de problemas disciplinares – declarou Sanchez, que evitou crítica a Mano, ex-Corinthians, e negou conflitos de interesses entre o cargo na CBF e de conselheiro da 9ine, empresa de Ronaldo que gerencia jogadores.

– Não gosto de demitir nem jogadores (época do Corinthians). Ele (Mano) teve um ano e meio de experiências. O que vale mesmo é o resultado e o trabalho do dia a dia. Estamos revendo alguns pontos no planejamento e o Mano tem de montar o time forte independentemente de ganhar ou não as Olimpíadas. E sobre a 9ine, foi um convite de boca. Nunca participei de uma reunião sequer. Não tem conflito de interesses porque não convoco jogadores.

Sanchez também comentou que acredita que Ricardo Teixeira sairá da CBF em 2015, ano das próximas eleições. Ele brincou ao dizer que não põe a mão no fogo pelo amigo:

— Nem por mim eu coloco! — afirmou, acrescentando que há muita gente à sua frente para assumir a presidência da CBF.

Sobre a polêmica da venda de bebida nos estádios durante a Copa, afirmou que é a favor já que se "vende pinga na porta e o cara quiser encher a cara problema dele". O estádio de São Paulo na Copa, em Itaquera, tem projeto de cervejaria em seu esqueleto, que levaria bebida por sistema de tubulação para os bares. Sanchez garantiu que em março ou início de abril, o Corinthians divulgará o nome do patrocinador de sua arena, que vai explorar o naming rights.

Share

Related posts