Haitianos pagam até US$ 300 para coiotes que os trazem ao Brasil

Os haitianos que usam o Acre como porta de entrada para o Brasil pagam até US$ 300 a bolivianos que montaram um esquema de imigração ilegal para atendê-los.

Conhecidos como coiotes –uma referência aos agentes que guiam imigrantes clandestinos na fronteira entre México e EUA–, eles buscam os haitianos em Iñapari, no Peru, e seguem até Cobija, cidade boliviana separada de Brasileia (231 km de Rio Branco) apenas pelo rio Acre.

Share

Related posts