Obama pede plano ‘equilibrado’ para regular imigração

Presidente quer regularizar situação de estudantes estrangeiros ilegais

Presidente americano Barack Obama Obama:”Talvez não possamos conseguir tudo o que eu gostaria de ver em uma reforma, mas temos que ter um pacote de medidas equilibrado” (Jim Watson/AFP)

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse, nesta quarta-feira, que o país precisa de um plano “equilibrado” para regular a imigração no país, que inclua a legalização de estudantes estrangeiros ilegais. “A meta agora é ver se podemos aperfeiçoar o E-verify (sistema para consultas sobre status migratório de trabalhadores)”, disse Obama durante uma entrevista coletiva, na qual pediu que a população clandestina “saia da sombra”. Esta não é a primeira declaração de Obama sobre o tema, um ano antes da eleição presidencial em que ele tentará  se manter no poder.

O presidente lembrou que os EUA são uma nação de leis, mas também de imigrantes, e reiterou seu apoio a uma reforma migratória integral – até agora um assunto escorregadio nos corredores do Congresso. Para Obama, as mudanças devem incluir uma maior vigilância fronteiriça; sanções para empresas que contratam imigrantes ilegais e exploram trabalhadores, e uma via para a legalização de quem atualmente está vivendo na sombra.

“Talvez não possamos conseguir tudo o que eu gostaria de ver em uma reforma, mas temos que ter um pacote de medidas equilibrado”, ressaltou Obama, que ganhou o voto hispânico em 2008, em grande parte, graças à sua promessa de uma reforma migratória.

E-Verify – Defendido por Obama, o programa permite que as empresas verifiquem o status migratório dos empregados. Por enquanto, ele é obrigatório para as companhias que têm contratos federais, mas alguns líderes republicanos do Congresso pressionam para que seja um requisito para todo o setor privado.

Ativistas pró-imigrantes asseguram, no entanto, que o programa contém erros e muitos empregados, inclusive cidadãos americanos, enfrentaram impedimentos devido a esse problema.

Estudantes – Obama também falou sobre a medida que visa a regularização de estudantes, batizada de Dream Act. Ele pediu a regularização dos documentos desses jovens “que cresceram nos Estados Unidos, se sentem americanos, estão prontos para investir no país”. O presidente falou a aqueles que estudam em universidades, atuam no Exército, ou mesmo venham a abrir negócios.

O Dream Act foi aprovado na Câmara de Representantes, mas derrotado no Senado em 2007 quando não reuniu os 60 votos necessários para sua adoção. As declarações de Obama na Casa Branca coincidiram com um protesto de 200 estudantes imigrantes ilegais que exigem que o líder cumpra sua promessa de iniciar uma reforma migratória integral.

Related posts