Líder da al-Qaeda no Iêmen promete guerra

Naser al-Wahishi disse que vai intensificar a jihad no país.
Braço local da rede é bastante atuante no país, que enfrenta crise política.

O líder do braço da rede terrorista da al-Qaeda na Península Arábica (AQPA), o iemenita Naser al-Wahishi, prometeu intensificar a jihad (guerra santa) após a morte de Osama bin Laden, segundo uma mensagem monitorada pelo Centro de Vigilância de Sites Islamitas (SITE), entidade americana.

“Os americanos mataram o xeque, mas devem saber que as brasas da jihad se avivarão agora, mais do que durante sua vida”, afirmou Al-Wahishi na mensagem.

“Não acreditem que o assunto terminou, o que virá será ainda pior, o que os espera será mais intenso”, completou.

A AQPA foi criada em 2009 com a fusão dos braços iemenita e saudita da al-Qaeda e hoje é um dos braços mais atuantes da descentralizada rede terrorista.

Antes, a “matriz” da rede terrorista e seu braço iraquiano também prometeram atacar alvos americanos.

Crise política
Um manifestante foi morto a tiros nesta quarta em uma ação da polícia para dispersar uma manifestação da oposição contra o governo do Iêmen na cidade de Taez, ao sul da capital, Sanaa.

A morte eleva a seis o número de manifestantes falecidos desde domingo em Taez, segunda cidade do Iêmen e foco do movimento de oposição ao presidente Ali Abdullah Saleh.

A repressão às manifestações contra Saleh já provocou 159 mortes desde o fim de janeiro em todo o país.

Manifestantes protestam contra o governo em Sanaa, capital do Iêmen, nesta terça-feira (10) (Foto: AP)Manifestantes protestam contra o governo em Sanaa, capital do Iêmen, nesta terça-feira (10) (Foto: AP)
Share

Related posts