Lytron
My Partner
cultureholidays

Israel: novidades para atrair o turismo

Os viajantes a Israel caminham através da história: dos castelos das Cruzadas até os portos onde marinheiros, peregrinos e famosos viajantes passaram algum tempo e então seguiram em frente; de paisagens no deserto que serviam de lar para tribos nômades, exércitos meio esquecidos e mercadores em caravanas de camelos, até túmulos de xeques com cúpulas esbranquiçadas, monastérios silenciosos e sinagogas antigas de mosaicos coloridos.

O Estado de Israel foi criado na Terra de Israel que foi prometida ao Povo de Israel de acordo com a tradição Judaica. Foi onde Jesus nasceu. O lugar de encontro de três continentes e dois mares, o País é um emaranhado de culturas, costumes e tradições, um País que é o lar de muitos povos e várias religiões.

No cruzamento de antigas rotas de comércio, a terra também viu ondas de exércitos conquistadores:  Cananeus, Hebreus, Babilônios, Persas, Gregos, Romanos, Árabes, Império Turco-Otomano e os Britânicos fizeram deste pequeno País tão desejado um campo de batalha onde lutaram por superioridade, construíram fortificações, castelos e palácios reais.

A Terra de Israel nos Tempos Bíblicos Estabelecimento e Conquista

As tribos de Canaã foram as primeiras a se instalarem em Israel, e seus habitantes principais até o segundo milênio antes da Era Comum. Nesses primeiros tempos a região já era um local de encontros de diferentes culturas; Egito ao Sul, Assíria, Mesopotâmia e Ásia Menor ao Norte.

Durante o segundo milênio antes da Era Comum, muitas tribos iniciaram uma invasão ao País, incluindo os Filisteus que vieram do Egeu e estabeleceram-se na Planície Costeira ao sul, e os Hebreus que vieram da Mesopotâmia  e estabeleceram-se nas colinas.

Os Hebreus conhecidos como Filhos de Israel viveram em uma estrutura de 12 tribos que permaneceu unida pelo primeiro Rei de Israel, Saul até o final do segundo milênio a.E.C. Seu sucessor, David, expandiu as fronteiras do País e fez de Jerusalém, até então Cidade Jebuseia, sua capital.

Foi aqui que seu filho, o Rei Salomão construiu o Templo com a Arca Sagrada. Após a morte de Salomão, o reinado dividiu-se em dois, com 10 tribos ao norte estabelecendo o Reinado de Israel enquanto que as 2 outras tribos estabeleceram o Reinado de Judá nas colinas de Jerusalém.No ano 721 a.E.C, o Reinado de Israel foi conquistado pelos Assírios, as 10 tribos foram enviadas ao exílio e são consideradas “perdidas” até os dias de hoje. O Reinado de Judá foi conquistado pelos Babilônios no ano 586 a.E.C, o Templo destruído e os Filhos de Israel foram ao primeiro exílio Babilônico.

Israel cria novas trilhas para atrair mais turistas cristãos

Israel espera atrair turistas cristãos com uma nova rota de peregrinação revelada esta semana na Galiléia. Uma rede de caminhos, estradas e ciclovias por locais onde Jesus andou com seus discípulos.

O desenvolvimento de sites ligados à história judaica tem sido uma prioridade para o Estado judeu. O caminho inaugurado por funcionários do Turismo israelense é uma homenagem ao número crescente de cristãos que viajam para o país nos últimos anos, ultrapassando os visitantes judeus.

Mais de dois terços dos 3,45 milhões de turistas que visitaram Israel no ano passado eram cristãos, o dobro do ano anterior, e cerca de 40% deles definiram-se como peregrinos religiosos, de acordo com o Ministério do Turismo Israel.

A trilha de 60 km ao norte de Israel passa pelo local onde Jesus multiplicou os pães e os peixes, e no monte onde ele fez seu Sermão da Montanha. E termina em Cafarnaum, às margens do Mar da Galiléia.

Estudiosos da Bíblia e repórteres fizeram uma caminhada inaugural na primeira seção da trilha, partindo de um ponto de vigia colina nos arredores de Nazaré, cidade natal de Jesus.

“Nós queremos realmente experimentar o que Jesus passou e as experiências do seu lado humano”, disse Saul Vasquez, 22 anos, de Nova York, quando ele caminhou pela trilha.

A nova trilha inclui citações do Novo Testamento esculpidas em pedras ao longo do caminho, áreas sombreadas para descanso e áreas de piquenique. Os funcionários estão programados para abrir oficialmente a rota inteira no próximo mês após a instalação de sinais e impressão de mapas.

Israel se apresenta como ‘destino seguro’ no Oriente Médio

Israel quer aproveitar os protestos no Oriente Médio para atrair turistas através de uma campanha na qual se apresenta como um destino seguro em meio ao caos, informou o Ministério do Turismo do país.

A iniciativa, que foi lançada em maio, conta com um orçamento de 45 milhões de shekels (US$ 12,5 milhões), disse o ministério em comunicado.

A campanha pretende “diferenciar a imagem de Israel de outros países da região e reforçá-la como um destino turístico seguro, acessível e atrativo”, afirmou o ministro do Turismo, Stas Misezhnikov, citado na nota.
Estados Unidos, Rússia, Alemanha, Reino Unido e Escandinávia serão os focos das ações.

A iniciativa foi anunciada no mesmo dia em que o Escritório Central de Estatísticas divulgou os dados de turismo de Israel, que em março sofreu uma queda de 2% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Em 2010, Israel registrou um número recorde de turistas (3,45 milhões), segundo dados do Ministério do Turismo.

Algumas das principais atrações turísticas se encontram em território ocupado, como a Cidade Antiga de Jerusalém e Belém, mas as visitas geralmente são administradas por guias israelenses.

EUA, Rússia, França e Alemanha foram, nesta ordem, os principais países de origem dos visitantes de Israel em 2010.

Share

Related posts