Passageiros da Delta dormem na praia para embarcarem em Cumbica

Passageiros da companhia aérea norte-americana Delta esperaram 18 horas para viajar de São Paulo para Atlanta. Parte deles ainda viajou 100 km de táxi até Bertioga, no litoral, para passar menos de sete horas em um hotel.

O problema começou na terça à noite. O voo 104, que partiria às 20h50 do aeroporto de Cumbica, teve um problema mecânico e não decolou.

A Delta não informou qual a causa da falha. Passageiros relataram que a tripulação disse que era um problema no radar do avião, um Boeing 767-400.

“Parece que é o mesmo problema do voo da Delta do Rio para Atlanta nesta semana”, disse Ernesto Gregório, secretário de Esporte e Recreação de Paulínia.

Ele falava do voo de domingo. O avião sobrevoava a região amazônica quando teve que voltar ao Galeão por problemas no radar. Na terça, o avião teve problemas de novo antes pousar.

A VIAGEM

Os passageiros ficaram mais de duas horas dentro do avião, em Cumbica. “Seguraram a gente até saírem todos os voos daqui para os EUA. A gente não teve nem a chance de tentar embarcar em algum voo de outra companhia”, disse Marco Cozzi, empresário e piloto de Stock Car.

Fora do avião, os 180 passageiros receberam lanches e enfrentaram uma fila para pegar os tíquetes que davam direito ao táxi que os levaria para o hotel ou para casa.

Quem mora em São Paulo e cidades próximas optou por voltar para casa. Os demais, principalmente estrangeiros, encararam a estrada.

Funcionários da empresa relataram aos passageiros que os hotéis em SP, Guarulhos e cidades próximas estavam lotados. A única opção foi Bertioga.

Uma brasileira que mora em Boston (EUA) preferiu ficar dormindo no aeroporto mesmo. Ela — que não quis se identificar– disse que não valia a pena o risco de enfrentar a estrada à noite para ficar poucas horas no hotel.

Share

Related posts