Motivações da pregação do evangelho

“Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que está perdido” (Luc 19:10).

O apóstolo Paulo, sabedor de que o evangelho é o único meio de salvar os perdidos; e para tanto tinha consciência de que deveria pregar o evangelho. Entretanto, ele sabia que surgiriam motivos errados de pregar a palavra de Deus. Por isso, em Filipenses 1: 13 a 19, ele faz menção daqueles que encontraram motivos errados de anunciar esta palavra; e menciona neste capítulo alguns deles: Uns pregavam por inveja; outros visando trazer-lhe aflições; outros pregavam por contenção. Não temos dúvidas de que isso se repete em nossos dias; além destes, muitos por altos salários. Porém, graças a Deus, há muitos que pregam por amor a Deus. Gostaríamos de citar alguns exemplos dignos de serem conhecidos, como por exemplo:

Primeira Ordem Suprema: O Senhor Jesus em Marcos 16:15 diz: “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura; quem crer será salvo, quem não crer será condenado”. Diante disto, diz o apóstolo Paulo: “Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim se não anunciar o evangelho” (I Cor 9:16). Em Ezequiel 3:18, Deus fala ao profeta dizendo: “Se o ímpio perecer na sua iniquidade, das tuas mãos vou requerer o sangue dele”. E também diz neste mesmo livro: “A alma que pecar, essa morrerá”. Como poderia Paulo conciliar o seu sono, sabendo que pela sua negligência o ímpio perecerá? O mesmo se pode dizer a todos os pregadores e aos servos do Senhor, pois uma alma vale mais que o mundo inteiro.

Felizmente, Paulo em Fil. 1, diz que, os que pregavam o evangelho de boamente, sabiam que foram salvos para servir. Não temos dúvidas de que hoje muitos pregam por senso de responsabilidade, sabendo que darão contas a Deus, se forem negligentes. Quando pregamos a palavra, o fazemos, sentindo compaixão dos que se perdem, colocando-nos no lugar deles, pois se alguém não nos tivesse pregado, iríamos para o inferno, sem esperança de voltar de lá. Então este fato, deve nos impulsionar a anunciar o evangelho da salvação com muita urgência. Aliás, sempre que queremos sentir a dor do nosso semelhante, basta nos colocar-nos em seu lugar.

No livro de Judas irmão do Senhor, verso 23 diz: “Salvai alguns, arrebatando-os do fogo, sede também compassivos em temor, detestando até a roupa contaminada pela carne”. Temos certeza de que este servo de Deus tinha consciência de que, se o evangelho de Jesus, não fosse anunciado, as almas estariam indo para o fogo do inferno; esta consciência devem ter também todos aqueles que se dizem salvos, foram salvos para servir. Vale repetir as palavras de Paulo: “Ai de mim! Se não anunciar o evangelho de Cristo”. Portanto sintamos o mesmo.

Façamos tudo para desviar aqueles que estão partindo para a perdição eterna, pregando-lhes o evangelho de Cristo, que é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê primeiro do judeu e também do grego (gentio). (Rm 1:16).

» TIMOFEI DIACOV é pastor e teólogo. Escreve para vários jornais e revistas e possue um programa de rádio no site www.assimestaescrito.com.

Related posts