Lytron
My Partner
cultureholidays
Census

Cresce procura por escola bilíngue

Cresce procura por escolas bilingues

Em São José, unidades de ensino ampliam instalações para atender ao aumento da demanda; psicóloga aprova método
Crescer aprendendo o ‘be-a-bá’ em dois idiomas. Investindo nesse tipo de metodologia, escolas bilíngues de São José já registraram aumento no número de alunos, já que pais se mostram a cada dia mais interessados nesse tipo de ensino.

A escola MapleBear, por exemplo, que recebe crianças a partir dos 18 meses, quadruplicou seu quadro de alunos este ano. Com o crescimento, a escola deverá ser transferida para um prédio maior no ano que vem.

“Hoje recebemos muitas ligações e visitas de pais interessados em matricular seus filhos conosco. O bilinguismo amplia a capacidade de comunicação da criança”, afirmou Mayra Moscardi, psicóloga e diretora da unidade.

Segundo ela, a maioria dos alunos tem pais brasileiros. Mais de 10% deles são estrangeiros e 8,33% são filhos de pais estrangeiros.

“Da recepção da escola para dentro, só há comunicação em inglês. Se alguém da limpeza não fala o idioma, por exemplo, não vai falar com a criança, que precisa estar inteiramente imersa no ambiente da língua inglesa”, disse Mayra.

Além da MapleBear, outras escolas como Esfera e Blossom também aumentaram ainda mais o quadro de alunos.

Na Esfera, que trabalha com ensino infantil e fundamental, a procura só aumenta. “O ensino bilíngue é uma oferta contemporânea no Brasil e no mundo, com uma forte tendência de crescimento”, disse a diretora Andrea Andrade.

Com receio de que o “duplo” aprendizado acabe confundindo os filhos pequenos, muitos pais ainda desconfiam do método. “No início tivemos dificuldade de mostrar como funcionava, mas depois eles aprovaram”, disse a diretora da MapleBear.

Mãe de Emanuel, de 4 anos, a publicitária e professora Karina Almeida, 32 anos, não se arrepende da escolha que fez ao matricular o filho, há dois anos, em uma escola bilíngue.

“Ele já entende tudo que qualquer pessoa conversa em inglês. Vou deixá-lo até os 7 anos, período em que a criança aprende com mais facilidade.”

Acompanhar o aprendizado em duas línguas pode ajudar a criança a se tornar mais receptiva para atividades em sala de aula, além de torná-las fluentes em outro idioma, garante a psicóloga Elisabete Beltrame, de São José.

Share

Related posts