Conferência reúne executivos e artistas em praia da Califórnia

“Esqueçam as gravatas, nada de terno.” O aviso vem insistente de um dos diretores do TED, evento anual de conferências com especialistas das mais variadas áreas (a sigla significa Tecnologia, Entretenimento e Design), que começou nos anos 1980.

A marca se tornou uma grife mundial, espalhada por várias plataformas, como um site que recebe 1 milhão de visitas diárias.

Apesar do ingresso caro (cerca de R$ 10 mil), do rígido processo de seleção para poder comprá-lo e de palestrantes como os presidentes-executivos da Ford e da Pepsi, além de Bill Gates, os organizadores gostam de manter o clima informal, fazendo o evento numa cidade praiana, Long Beach, na Califórnia.

O evento começou ontem e vai até sexta-feira, com 50 palestras. Seus 1.300 ingressos se esgotaram em menos de duas semanas, no ano passado. Fora os executivos, participam cientistas, exploradores e artistas.

Bill Gates em palestra feita em 2009
Bill Gates em palestra feita em 2009

As apresentações não podem passar de 18 minutos. “É longo o suficiente para dizer algo sério e curto o suficiente para não entediar ninguém”, diz, rindo, o curador Chris Anderson.

“Força você a se perguntar qual é a coisa mais importante que você quer dividir com o mundo e como fazê-lo de forma compacta, viva”, continuou Anderson, cuja empresa sem fins lucrativos comprou o TED em 2001.

Entre as palestras recentes mais famosas está uma de Bill Gates em 2009, quando ele liberou na sala mosquitos que transmitem malária para falar sobre a prevenção da doença em países pobres.

O fundador da Microsoft volta nesta edição como curador de um ciclo, do qual participam o epidemiologista canadense Bruce Aylward, especialista em poliomielite, a educadora nigeriana Amina Az-Zubair, o historiador David Christian e o educador Salman Khan.

Um nome colocado de última hora na agenda foi Wadah Khanfar, diretor-geral da Al Jazeera, por conta da elogiada cobertura que a rede vem fazendo dos protestos no mundo árabe.

“Não cobrimos muito política no TED. Políticos vêm e vão, ideias duram para sempre. E o que acontece no Oriente Médio é sinal disto”, disse Anderson. “Poucas pessoas previram que isto aconteceria, mas estava no nosso radar.”

POR DENTRO DO TED
O QUE É Evento anual com especialistas de diversas áreas; na sigla, Tecnologia, Entretenimento e Design
PALESTRAS Serão 50, com até 18 minutos cada uma
PARTICIPANTES 1.300 pagantes
CURADOR Chris Anderson
QUANDO E ONDE Até dia 4 de março, na Califórnia
DESTAQUES Bill Gates (fundador da Microsoft), Wadah Khanfar (diretor-geral da Al Jazeera), Bill Ford (CEO da Ford), entre outras atrações

Share

Related posts