José Alencar: luto para não morrer

Alencar na cerimônia da aniversário de São Paulo

José Alencar é homenageado no aniversário de São Paulo e diz que luta para não morrer

José Alencar recebeu, nesta terça-feira, a Medalha 25 de Janeiro, concedida pela prefeitura de São Paulo, e entregue pelas mãos da presidente Dilma Roussef. Em seu discurso, o ex-vice-presidente disse que está lutando para não morrer. Sentado numa cadeira de rodas e acompanhado por dois médicos do Hospital Sírio-Libanês, para onde voltou logo depois do evento, Alencar mostrou-se emocionado com a homenagem e afirmou que, embora seu estado de saúde esteja um pouco melhor, ele considera que passa por um dos momentos mais críticos desde que foi internado pela última vez, há 90 dias.

Nesse período, Alencar saiu do hospital apenas duas vezes, quando fez um bate-volta a Brasília e também quando passou uma noite em sua casa em São Paulo.

– Nós estamos tentando vencer as dificuldades, ainda que elas não sejam brincadeira. Mas Deus sabe o que faz e a aceitaremos a sua decisão de bom grado. Se eu morrer agora, tenho até que me sentir um privilegiado, pois está todo mundo rezando e torcendo por mim. Não posso me queixar se eu morrer, mas estou lutando para não morrer – disse o ex-vice-presidente, lembrando das dificuldades para enfrentar o tratamento de câncer na região abdominal.

Alencar lembrou que já teve um enfarto e também teve que implantar stent ainda quando estava na UTI. Alencar disse ainda que chorou ao saber que seria homenageado pela Prefeitura de São Paulo e que só pode participar do evento porque teve autorização dos médicos. Alencar pediu desculpas por falar sentado e fez graça ao comentar suas palavras.

– Como me ensinou o Lula, os discursos têm que ser que nem vestidos. Não podem ser tão curtos que nos escandalizem, nem tão longos que nos entristeçam.

Ao comentar a força da economia de São Paulo, o ex-vice-presidente disse:

– Que me desculpem aqui, mas tenho que dizer que esse Brasil vai bem graças à dedicação do presidente Lula – disse Alencar.

Dilma garante parceria e investimento em São Paulo

No palanque estavam ao lado de Alencar, além de Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula, o atual vice-presidente Michel Temer, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o prefeito Gilberto Kassab e o cardeal de São Paulo, Dom Odilo Scherer.

Em seu discurso, a presidente Dilma disse que está pronta para continuar a parceria com o governo do estado e que o processo de investimentos em São Paulo vai continuar.

– Gostaria de dizer ao governador Geraldo Alckmin que estamos prontos para continuar a parceria entre o governo federal e o governo do estado de São Paulo. E ao prefeito Kassab que iremos juntos continuar o processo de investimentos aqui – disse a presidente.

Dilma fez um agradecimento pessoal ao prefeito Gilberto Kassab pelo convite para entregar a medalha a Alencar. Segundo ela, é simbólico a homenagem a Alencar ter ocorrido em São Paulo.

– Acho que todos os cidadãos do país sabem da importância desse homem, que saiu de baixo e construiu um império econômico no Brasil, mas não perdeu jamais seu compromisso com o Brasil. Ele foi foi um grande vice-presidente ao lado de um grande presidente. Os dois não tinham diploma universitário, mas mostraram compromisso com a Educação – disse Dilma.

Pouco antes, em seu rápido pronunciamento, Alckmin fez um aceno político para o governo federal.

– Quero dizer para a presidente Dilma da minha alegria de recebê-la aqui e desejo um ótimo mandato.

Alencar deixou o Hospital Sirio-Libanês de cadeira de rodas em um carro convencional, acompanhado do médico Roberto Kalil Filho.

– Essa é uma homenagem muito cara para mim e nem sei se mereço. Por isso, eu tinha que fazer todo o esforço para estar presente e espero que Deus me ajude e que possa participar bem da solenidade – disse Alencar na saída do hospital.

O ex-vice-presidente continua com as sessões de quimioterapia e hemodiálise, realizadas no Hospital Sírio-Libanês, onde ele está internado desde o dia 22 de dezembro do ano passado .

Related posts