Vivendo nos dias de hoje

Vivemos dias em que para mantermos a sanidade em um mundo obviamente enlouquecido, precisamos caminhar  rápido, e às vezes até corrermos, buscando estar um passo à frente do progresso, que como um rolo compressor ameaça  nos atropelar.  Agarrados às nossas convicções, já quase comprometidas, nos sentimos enfraquecidos e impotentes diante de um mundo agressivo e confrontante,  que como um deus mitológico, se nos apresenta  com muitas caras, hora alegre, hora assustadora.

Um mundo apressado em que as pessoas correm atrás de tudo sem necessariamente  alcançar nada. Onde os louros da vitória geralmente são dados aos que acumulam bens.  Um mundo onde homens estrangulam a verdade em prol de seus próprios interesses, e cavalgando suas filosofias com o intuito de aquietarem seu indomável  espírito, terminam por aderirem a uma religiosidade pálida e insípida,  que certamente  os abandonará,  maltrapilhos e famintos, na sargeta espiritual.

Vivemos dias em que, agredimos em nome da inveja, matamos  em nome da honra, criando assim  um ciclo vicioso e corrupto, onde a conivência é premiada e a incapacidade de se admitir culpa faz com que a inocência seja castigada. Dias em que o poder se tornou alvo, e a inversão de valores se tornou arma na luta pela sua obtenção, estabelecendo no coração dos homens um duelo entre a necessidade de ter e a vontade de ser.

Dias em que a paranóia tem permeado o mundo, fazendo com que os homens sejam prisioneiros de seu próprio espaço,  e que as nações, lançando acusações entre si, se fortaleçam belicamente, deixando a impressão de que a destruição total é a única forma de se obter a paz. Dias em que a natureza cansada se convulsiona e se transforma, transmitindo ao homem uma única mensagem com fundo ameaçador, “chega de abusos”.

Vivemos dias em que deuses inflacionam o mundo com mensagens baratas e
mentirosas, com o objetivo de obterem  moradia nos corações vazios  e vulneráveis daqueles que galgam os degraus da iniquidade. Dias em que nossa palavra já não é o bastante, o nosso conhecimento se perde em meio ao avanço explosivo da tecnologia, e a nossa integridade é colocada à prova cada vez que empunhamos a espada da fá para defendermos os fundamentos da nossa crença.

Vivemos  dias de grande necessidade em que a verdadeira mensagem seja restituida e revivida. A mensagem daquele que diz saber os planos quem tem para nós, planos de nos abençoar e não de nos maltratar, planos de nos dar um futuro e uma esperança. Necessidade de que a humanidade se deixe levar, uma vez mais pela mão daquele que nos diz, eu sou o Senhor teu Deus que te toma pela tua mão direita e te diz: Não temas, porque eu sou contigo.

Mas também vivemos dias como nunca antes vivemos, quando a chama que arde em nosso espírito  se renova a  cada manhã, nos mantendo um passo à frente do progresso, reforçando nossas convicções, nos livrando da contaminação, e nos fazendo gritar a plenos pulmões, “maior e o que está em nós do que o que está no mundo”.

EDILTON VILELA é membro fundador e Vice Presidente da PIBBO (Primeira Igreja Batista Brasileira de Orlando).

Related posts