Lytron
My Partner

Advogado de Mizael afirma que seu cliente vai se apresentar nesta quinta

O juiz Jayme Garcia dos Santos Junior negou pedido de manutenção da prisão temporária de Mizael Bispo de Souza, ex-namorado e principal suspeito, de acordo com a polícia, de ter mata a advogada Mércia Nakashima.

Indiciado pelo homicídio nesta quarta-feira (14), Mizael agora poderá desfrutar da liberdade enquanto não houver outro decreto de prisão.

A decisão foi baseada em manifestação do Ministério Público, que afirmou que os argumentos usados no pedido de manutenção não estavam de acordo com a legislação que rege a prisão temporária. Além disso, o juiz também negou a conversão da prisão temporária em preventiva por falta de comprovação dos requisitos necessários –garantia da ordem pública, conveniência da instrução criminal e garantia da aplicação da lei penal.

De acordo com o advogado de Mizael, Samir Haddad Junior, seu cliente pretende se apresentar ao juiz de Guarulhos nesta quinta-feira. Souza vai comunicar que continuará morando na mesma residência e trabalhando no mesmo local –um escritório de advocacia.

Sem revelar o local, Haddad Junior afirma, no áudio abaixo, que seu cliente ficou trancado cinco dias em um apartamento.

Mércia foi vista pela última vez na casa dos seus avós no dia 23 de maio. O carro da advogada foi encontrado no dia 10 de junho em uma represa na cidade de Nazaré Paulista (a 64 km de São Paulo), após indicação de um homem que viu o veículo ser empurrado enquanto pescava. No dia seguinte seu corpo foi encontrado no mesmo local, após ela ter ficado desaparecida por 17 dias.

O vigia Evandro Bezerra Silva, suspeito de participar do crime, foi preso na madrugada de sexta-feira em Sergipe e transferido para São Paulo no dia seguinte. Em um primeiro depoimento, à polícia sergipana, o vigia negou qualquer envolvimento no crime, mas mudou a versão posteriormente, acusando o ex-namorado de Mércia. Ele disse que combinou com Mizael de buscá-lo na represa no dia do desaparecimento. Para a polícia, Silva e Souza criaram uma armadilha para Mércia.

“No calor da apresentação na delegacia, o Evandro disse o que ele quis. Só que ao mostrar as evidências ou ele negaria ou ele tentaria adequar a versão para minimizar a participação dele, como ele fez. Ele disse que não matou a Mércia, apenas socorreu o amigo que estava sozinho na beira da represa”, afirmou o diretor do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) de São Paulo, Marco Antônio Desgualdo.

Desde que a prisão de Mizael foi decretada, o advogado Samir Haddad Junior diz que orienta seu cliente a não se entregar. “”Mizael só se apresenta sem algema e sem prisão”, disse, mais cedo, nesta quarta-feira. Já o delegado responsável pelo caso, Antônio de Olin, do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), disse que a prisão de Mizael era uma prioridade.

Share

Related posts