Planos na contramão da vontade de Deus

Os nossos planos podem coincidir com os planos de Deus somente se mantivermos firme o objetivo de buscar a sua glória. Uma vez assentado em nossas mentes que Deus faz tudo para sua própria glória, será possível avaliar melhor nossos planos e projetos. “Quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (1 Co 10.31), mostra a finalidade que deve governar a vida. Esta ordenança bíblica somente pode refletir a motivação central do coração de Deus. A demonstração de sua grandeza, seus atributos perfeitos e domínio sobre a vontade de pessoas criadas em sua imagem é a finalidade da criação e da redenção.

Os planos humanos procuram a felicidade e a realização por meio do aumento de patrimônio e poder. Os homens planejam e trabalham assiduamente com a intenção de ganhar mais dinheiro, adquirir mais bens, gozar de mais conforto e garantir a segurança. Qual é o indivíduo que não quer casar com uma moça linda e apaixonante, ter dois filhos bem comportados com inteligência superior? Querem ser importantes, influentes, famosos e saudáveis. Tudo isto, e muito mais, motiva o coração humano a lutar e planejar. Homens querem dominar para que possam exercer sua própria vontade. Para alcançar conquistas tão importantes são necessários sonhos e planos. Procurar satisfação pessoal por meio de sucesso e vitórias sobre problemas e obstáculos é universal.

Pascal escreveu, “Todas as pessoas buscam a felicidade. Não há exceção para isso. Sejam quais forem os meios diferentes que empreguem, todos objetivam esse alvo… Esse é o motivo de cada ação de todo ser humano, mesmo dos que se enforcam” (Pensamento # 425 citando em J. Piper, Em Busca de Deus, Shedd Publicações).

Buscar quer dizer planejar. A razão pela qual existe uma imensurável quantidade de infelicidade no mundo se explica pela busca no lugar errado e por meios traiçoeiros. Aqueles que traçam planos para serem mais felizes, mas não alinham esses planos com o crivo da revelação que Deus nos outorgou na Bíblia, fatalmente chegarão, mais cedo ou mais tarde, na infelicidade. Se planejarmos com a finalidade de satisfazer nosso egoísmo, ficaremos decepcionados.

Todos os planos de Deus refletem sua justiça e amor. Qualquer plano nosso que passa de lado os interesses de Deus não pode ser bem-sucedido.

Jesus Cristo veio para servir, não ser servido (Mc 10.45). Planejar servir aos outros, especialmente às pessoas menos favorecidas na vida, coincide com o plano de Deus para os seus filhos. “Embora sendo Deus não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se, mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo (no grego, “escravo”)…” (Fp 2.6,7 NVI). Escravos existem somente para fazer a vontade de seu dono.

Como foi diferente o pensamento do empresário que anunciou numa palestra para um auditório repleto de pessoas ambiciosas. “Já ganhei suficiente dinheiro para nunca mais ter que fazer alguma coisa que não gosto de fazer”. Jesus contou a história dum bem-sucedido fazendeiro que, tendo armazenado tantos bens que disse para si mesmo, “Descanse, coma, beba e alegre-se”. Planejou longos anos de felicidade na contramão do plano de Deus. Este lhe disse, “Insensato”! Esta mesma noite a sua vida lhe será exigida” (Lc 12.19,20NVI).

Planejar a vida sem considerar a vontade de Deus é pura tolice. Todo cristão comprometido sabe isto na teoria, mas na prática, muitos estão escolhendo carreiras e cônjuges sem consultar o seu Dono. Empresários estão investindo, esperando multiplicar seus bens e consequentemente sua felicidade. Pede-se a bênção do Senhor sem buscar em primeiro lugar o Reino e sua justiça. Não se deve admirar que tais planejadores caiam na infelicidade.

Related posts